Jornal do Brasil

Sábado, 20 de Dezembro de 2014

Internacional

Governo italiano convoca embaixador da Índia em Roma

Diplomata vai prestar esclarecimentos sobre caso de fuzileiros acusados de assassinato

Agência ANSA

O Ministério das Relações Exteriores da Itália convocou nesta terça-feira (18) o embaixador da Índia no país, Basant Kumar Gupta, para exprimir  "a profunda decepção" do governo após a Suprema Corte da nação asiática decidir adiar a audiência sobre o caso dos dois fuzileiros navais italianos que estão sendo acusados de assassinato. 

Os militares Massimiliano Latorre e Salvatore Girone vão responder pela morte de dois pescadores em 15 de fevereiro de 2012, quando estavam a bordo de um navio petroleiro da Itália. O incidente ocorreu em águas internacionais perto do estado de Kerala, e os réus justificaram a ação afirmando que dispararam para defender a embarcação de um ataque pirata.    

Desde então, as audiências sobre o caso vêm sendo frequentemente adiadas, e até hoje os fuzileiros não sabem que lei será aplicada contra eles. "A União Europeia ficou desapontada com o fato de que, dois anos depois do incidente, a Suprema Corte adiou mais uma vez a decisão sobre que legislação deve ser adotada na acusação", disse o porta-voz de Catherine Ashton, chefe de diplomacia do bloco.    

O governo indiano ameaça usar contra os militares a lei antipirataria, o que foi classificado como "inaceitável" pela Itália. Caso sejam condenados, eles poderiam pegar até 10 anos de prisão. Na manhã desta terça, Roma já havia convocado "imediatamente" o seu embaixador em Nova Délhi, Daniele Mancini.    

Para a ministra italiana das Relações Exteriores, Emma Bonino, o desenvolvimento do caso "não é mais aceitável". "Os fuzileiros não podem mais ser vítimas de adiamentos", declarou a chanceler, acrescentando que eles devem "retornar para casa". 

Tags: fuzileiros, índia, itália, morte, Navio

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.