Jornal do Brasil

Quarta-feira, 30 de Julho de 2014

Internacional

Chanceler britânico diz estar preocupado com violência na Venezuela

Agência Brasil

O secretário de Estado para Negócios Estrangeiros do Reino Unido, William Hague, disse hoje (18) estar preocupado com a situação da Venezuela, especialmente em relação às informações de que o governo estaria reprimindo protestos pacíficos. "A liberdade de expressão e de reunião pacífica são essenciais. São direitos universais que têm de ser respeitados", disse o chanceler britânico.

Hague iniciou ontem uma viagem no Brasil, com agenda em Manaus, Brasília e São Paulo. Hoje, ele encontrou-se com o ministro das Relações Exteriores, Luiz Alberto Figueiredo, para discutir os interesses dos dois países e o cenário internacional.

A Venezuela está em crise nos últimos dias devido à convocação de protestos por parte da oposição. Os confrontos violentos entre forças de segurança e manifestantes, que resultaram em mortos e feridos, foram condenados por grupos regionais como o Mercosul e a União das Nações Sul-Americanas (Unasul).

Ministro das Relações Exteriores, Luiz Alberto Figueiredo, recebe o chanceler britânico, William Hague. Marcelo Camargo/Agência Brasil

A posição Brasil, expressa nos comunicados dos dois blocos de países da América do Sul, é a de observar os próximos acontecimentos. "Temos a expectativa de que haja uma convergência dentro de um respeito à institucionalidade e à democracia, e que não haja o tipo de distúrbio que vimos na semana passada, em que vidas foram perdidas e que lamentamos", disse o chanceler Luiz Alberto Figueiredo.

Estão marcadas para hoje novas marchas na capital venezuelana, Caracas. Apesar do clima moderado nas ruas, nas redes sociais e nos meios de comunicação, oposição e governo trocam acusações e denunciam manipulação de informações. O presidente do Parlamento venezuelano, Diosdado Cabello, informou que a marcha da oposição não está autorizada e que as forças de segurança não permitirão que os manifestantes cheguem perto do Ministério do Interior, um dos locais de protesto.

Tags: Atos, Caracas, crise, política, protestos, ruas

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.