Jornal do Brasil

Quinta-feira, 24 de Abril de 2014

Internacional

Poucas mulheres europeias vítimas de violência vão à polícia

Agência Brasil

Dois terços das mulheres vítimas de violência física e/ou sexual não entram em contato com a polícia ou qualquer outro serviço de apoio, indicou hoje (14) estudo elaborado  pela Agência de Direitos Fundamentais (FRA, sigla em francês) da União Europeia (UE). A falta de queixas e denúncias esconde a verdadeira extensão do problema da violência contra as mulheres, destacou o documento. 

O estudo da agência revela níveis "chocantes" de violência em toda a União Europeia, disse o diretor da FRA, Morten Kjaerum, em comunicado.  O resultado completo do estudo será divulgado no dia 5 de março, mas dados preliminares foram anunciados nesta sexta-feira, quando se comemora em vários países europeus o Dia de São Valentim, análogo ao Dia dos Namorados no Brasil. A data será marcada por uma campanha para o fim da violência contra a mulher.

"Há necessidade urgente de capacitar as mulheres para debater e denunciar um problema demasiado comum, para que as autoridades possam ajudar a pôr fim à violência”, diz a nota.

Essa é a primeira pesquisa no âmbito da União Europeia que registra a extensão e a natureza da violência contra mulheres nos 28 países do bloco.  Para elaborar o estudo, foram reunidos testemunhos, feitos ao vivo, com  42 mil mulheres dos 28 Estados membros da UE que foram vítimas de abusos físicos e/ou sexuais em casa, no trabalho, na esfera pública e no espaço virtual, como crimes de perseguição e assédio pela internet.

Tags: .europeia, estudo, familiar, união, violência

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.