Jornal do Brasil

Sexta-feira, 1 de Agosto de 2014

Internacional

El País comenta o sucesso de Cuba na CELAC

Jornal do Brasil

O jornal espanhol El País publicou na sua editoria Internacional o encontro da cúpula da CELAC (Comunidade dos Estados Latino-americanos e Caribenhos), que encerrou a sua segunda convenção na quarta-feira (29/1), em Havana, como inegável sucesso diplomático para Cuba. A reportagem de Vicente Palacio destaca a participação da Espanha, em favor das questões cubanas, abrindo as portas europeias para as questões da ilha. O novo caminho levará a um novo tratado bilateral com Bruxelas.      

Palacio comenta que no plenário, Dilma Rousseff insistiu em "diminuir diferenças" entre todas as nações latino-americanas. O mexicano Peña Nieto destacou a importância da integração regional, seja através do Pacífico do Sul ou Central. "Como em um sonho, o regime de Fidel Castro parece adequar-lhe tudo", afirma o texto. A prioridade dos governos do continente, de acordo com a reportagem de Palacio, está voltada para o crescimento sustentável com distribuição da riqueza entre as classes e territórios, pelo menos para uma década. Cuba tem, pelo menos, uma localização que dá uma referência a esta questão. Além disso, neste momento de abertura econômica, Raúl precisa de um ambiente pacificado, onde mexicanos e brasileiros  possam supervisionar a fronteira e apaziguar os ânimos.

O texto relembra que durante seis décadas, os EUA e a Europa criaram sanções e invasões para manter a ilha fora da política global. "Algumas pessoas não confiam, dada a experiência passada, o regime cubano. Mas isso quem precisa de remessas de oxigênio, turismo e investimento estrangeiro, sabe agora que não pode cometer qualquer fiasco", diz a reportagem. 

Na avaliação do jornal, a UE tem de interpretar bem o que acontece em relação aos EUA. Além certa retórica, o governo Obama está abrindo a mão no turismo ou migração. Curiosamente, na Espanha muitos ignoram as forças significativas da comunidade de exilados cubano-americana de Miami, especialmente as gerações mais jovens nascidas na América. 

Presidente de Cuba, Raúl Castro, na sessão inaugural da II Cúpula da Comunidade dos Estados Latino-Americanos e Caribenhos – CELAC
Presidente de Cuba, Raúl Castro, na sessão inaugural da II Cúpula da Comunidade dos Estados Latino-Americanos e Caribenhos – CELAC

Os deputados e senadores, republicanos ou democratas, também são extremamente pragmáticos nisso. Dificilmente o fim oficial do embargo dos EUA com Fidel irá ocorrer, talvez Obama não veja isso também. Porém, uma vez que o pai fundador desapareceu, as coisas podem acontecer de forma rápida. "Talvez este componente da CELAC em Havana não ganhou o Castro. Há uma inversão do seu sucesso diplomático e, possivelmente, aos poucos, os vizinhos estão indo para exigir liberdades e os direitos do regime, além dos resultados. Esse é o preço que você tem que pagar quando sai do isolamento e permiti a legitimidade dos outros", destaca Palacio.

Tags: crescimento, CÚPULA, estados, latino-americanos, rousseff, sustentável

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.