Jornal do Brasil

Quarta-feira, 30 de Julho de 2014

Internacional

Prefeito diz que não há gays em Sochi e pede "respeito" de visitantes

Portal Terra

O prefeito de Sochi, Anatoly Pakhomov, declarou à imprensa inglesa que não há homossexuais na cidade, sede da Olimpíada de Inverno de 2014 entre 7 e 23 de fevereiro. À rede de TV britânica BBC, Pakhomov reforçou a postura contrária à “propaganda gay” e pediu para que os homossexuais tenham respeito às leis da Rússia durante as competições.

“Nós apenas dizermos que isso (opção sexual) é da conta de cada um, é assunto de cada um. Mas isso não é aceito aqui no Cáucaso, onde vivemos. Nós não temos eles (homossexuais) em nossa cidade”, disse Pakhomov, que reformulou a declaração mais tarde. “Não tenho certeza, mas não conheço eles.”

Ainda assim, as declarações do prefeito de Sochi foram recebidas com rejeição pela comunidade gay local. Nikolay Alekseyev, ativista dos direitos homossexuais, comparou os comentários de Pakhomov aos do ex-presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, que afirmou não haver gays em seu país.

Curiosamente, segundo a agência de notícias Russia Today (RT), há pelos menos duas boates frequentadas por homossexuais em Sochi. O site Huffington Post afirma ainda que a região concentra outros pontos de encontros de gays, lésbicas, transgêneros e simpatizantes.

Pakhomov disse ainda que os homossexuais são bem-vindos à Olimpíada de Inverno na cidade, desde que “respeitem as leis da Rússia e não imponham seus hábitos sobre os dos outros”. As leis locais proíbem a divulgação de informação contra “relações sexuais tradicionais” ou que não tenham fins de procriação. A questão chegou a provocar uma proposta de boicote internacional à Olimpíada de 2014.

Tags: homossexuais, Inverno, jogos, leis, russia

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.