Jornal do Brasil

Terça-feira, 23 de Setembro de 2014

Internacional

Confrontos no Egito deixam mais de 20 mortos

Agência ANSA

(ANSA) - Pelo menos 21 pessoas morreram durante os confrontos entre manifestantes favoráveis ao presidente deposto Mohamed Morsi e as forças de segurança egípcias neste sábado (25), data em que se comemora os três anos do início da revolução que derrubou o ditador Hosni Mubarak.

    A primeira morte foi registrada no bairro de Mohandessin, no Cairo, onde um militante foi atingido por um tiro. Outros três foram baleados e faleceram em um conflito na frente da sede do sindicato dos jornalistas na capital do Egito. Além deles, dois manifestantes pró-Morsi perderam a vida na cidade de Minya. Apenas em Giza foram registradas 15 vítimas fatais.

    Na Praça Tahrir, símbolo da revolução contra Mubarak, o Exército autorizou o acesso aos pedestres, mas instalou detectores de metal cercados por arame farpado para permitir a identificação de eventuais explosivos. Em Suez, uma bomba foi colocada em frente à central das forças de segurança, mas ainda não se sabe de vítimas ou feridos.

    Ontem (24), uma série de confrontos e atentados já tinha deixado 22 pessoas mortas no Egito. Em meio a toda essa tensão, o porta-voz da Presidência interina do país anunciou para este domingo (26) um pronunciamento do chefe de Estado provisório, Adly Mansour, que deve falar sobre a nova Constituição, aprovada por ampla maioria pela população, e convocar eleições para escolher o seu substituto. O pleito está previsto para ocorrer entre o final de março e o início de abril. (ANSA)

Tags: ataque, bomba, Egito, morte, violência

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.