Jornal do Brasil

Sexta-feira, 24 de Outubro de 2014

Internacional

Execução de mexicano nos EUA gera protestos

Agência ANSA

A execução de um prisioneiro mexicano pelo estado do Texas pode criar um incidente diplomático entre o México e os Estados Unidos. O governo mexicano havia protestado oficialmente contra a sentença de morte proferida e definiu a atitude do estado norte-americano em levar a cabo a execução como uma clara "violação aos compromissos internacionais".

    Os Estados Unidos estão sendo acusados de não haver garantido ao mexicano Edgar Tamayo Arias o seu direito à assistência legal, como estabelecido pela Convenção de Genebra. Também foi reconhecido que o condenado possuía uma leve doença mental, o que tornaria ilegal sua execução perante as leis norte-americanas. O mexicano de 46 anos foi morto por injeção letal, mesmo após os protestos do governo mexicano e até mesmo do governo dos Estados Unidos que era contrário à execução e tentou pressionar as autoridades do Texas a voltar atrás. No México a pena de morte foi abolida. Edgar Arias foi condenado pelo homicídio de um policial em 1994, em Houston. O estado do Texas teria negado o direito do mexicano receber assistência de sua embaixada. Segundo seu advogado, Arias mal falava inglês quando foi preso e se "tivesse recebido a assistência da Embaixada do México durante o processo, não teria sido condenado à morte". Esta foi a terceira execução de um cidadão mexicano no Texas. (ANSA)

Tags: estados, execução, México, prisão, unidos

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.