Jornal do Brasil

Quarta-feira, 17 de Dezembro de 2014

Internacional

EUA abrem conferência sobre Síria e pedem saída de Assad

Agência ANSA

(ANSA) - Os Estados Unidos abriram nesta quarta-feira (22) a Conferência de Paz sobre a Síria, na ONU, exigindo a saída do presidente Bashar al-Assad do poder.

Em Montreux, na Suíça, o secretário de Estado norte-americano, John Kerry, disse que não se pode pensar na possibilidade de Assad participar de um processo de transição na Síria. "Devemos enfrentar a realidade: Assad não fará parte do governo de transição. Um homem não pode manter um país e uma região inteira como reféns", argumentou.

A posição dos EUA, porém, foi contestada pela Rússia, país próximo ao governo de Assad. Em seu pronunciamento, o chanceler russo, Sergey Lavrov, disse que Moscou não aceitaria a interferência externa na formação de um governo de transição. "A solução precisa ser encontrada pelos sírios, sem a intromissão internacional", alertou.

Delegações de diversos países do mundo estão reunidas na Suíça para tentar chegar a uma solução para a crise política na Síria, que já dura três anos e causou mais de 100 mil mortos.

"Essa conferência representa a oportunidade para vocês mostrarem união e encontrar uma solução política", disse o secretário-geral das Nações Unidas, Ban ki-moon, na abertura da reunião.

O encontro não tem data limite para acabar. Mas essa é a primeira vez que o governo sírio e a oposição se reúnem, com o apoio internacional, para debater a crise no país.

Desconvidado pela ONU para participar da reunião, o Irã desferiu críticas à conferência de paz. "Há poucas esperanças de que a conferência de Genebra 2 leve a uma solução para o povo sírio e contra a ameaça do terrorismo", comentou o presidente do Irã, Hassan Rohani, segundo a agência Mehr. (ANSA)

Tags: conferência, estados, Nações, síria, Unidas, unidos

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.