Jornal do Brasil

Quinta-feira, 28 de Agosto de 2014

Internacional

Presidente do partido de Letta renuncia ao cargo

Agência ANSA

O presidente do Partido Democrático (PD) da Itália, Gianni Cuperlo, renunciou ao cargo após divergências com o novo secretário da legenda, o prefeito de Florença, Matteo Renzi. Os dois políticos, que pertencem à mesma sigla do premier Enrico Letta, bateram de frente após Renzi entrar em acordo com o senador cassado Silvio Berlusconi, do Forza Italia (FI), sobre um novo projeto de lei eleitoral para o país.    

A reunião com o Cavaliere no último sábado (18) causou enorme polêmica na Itália e dentro do próprio PD, já que foi a primeira vez que o ex-primeiro-ministro colocou os pés dentro da sede do partido. Apesar de terem se aliado no ano passado para dar governabilidade a Letta, as legendas ocupam campos opostos na política italiana. O FI só deixou a coalizão governista no final de 2013, em meio ao processo de cassação de Berlusconi.    

"Eu renuncio porque quero o bem do PD e desejo me empenhar para reforçar no seu interior as ideias e valores da esquerda. Renuncio porque quero ter a liberdade de dizer sempre o que penso. Quero poder aplaudir, criticar, discordar, sem que isso pareça a ninguém um abuso de poder", afirmou Cuperlo em uma carta direcionada a Renzi.    

O prefeito de Florença declarou que respeita a escolha do agora ex-presidente e o agradeceu pelo trabalho que desenvolveu. "Estou certo de que podemos fazer muito pelo PD e pela centro-esquerda. Somos um partido vivo, dinâmico, plural e apaixonado. Um partido de verdade, onde se discute a sério, com o rosto à mostra", respondeu o secretário. 

Tags: crise, italiana, partido, política, premier

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.