Jornal do Brasil

Segunda-feira, 21 de Abril de 2014

Internacional

Tajani ataca Índia por processo contra italianos

Fuzileiros podem pegar pena de morte por suposto assassinato

Agência ANSA

O vice-presidente da Comissão Europeia, Antonio Tajani, disse que a União Europeia (UE) deve encerrar as conversas com a Índia para a aprovação de um acordo de livre comércio caso Massimiliano Latorre e Salvatore Girone, os dois fuzileiros navais italianos proibidos de deixar o país por conta de uma acusação de assassinato, sejam condenados à pena de morte.    

"Não se pode negociar com uma nação que não respeita os direitos humanos. Não acho que seja possível levar adiante um acordo entre a UE e a Índia quando a hipótese de uma condenação à morte é levada em consideração", ressaltou Tajani, que também é da Itália. 

Os militares são acusados de terem matado dois pescadores em 15 de fevereiro de 2012, quando estavam em serviço à bordo de um navio petroleiro italiano. O incidente ocorreu em águas internacionais perto do estado de Kerala, e os fuzileiros justificam a ação afirmando que estavam defendendo a embarcação de um ataque pirata.    

O vice acrescentou que vai enviar uma carta ao presidente da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso, e outra à chefe da diplomacia da UE, Catherine Ashton, para pedir uma intervenção de Bruxelas na disputa jurídica em benefício de Latorre e Girone. 

As negociações entre o bloco econômico e a Índia sobre um acordo de livre comércio começaram em 2007 e avançaram lentamente nos últimos anos por conta de discordâncias referentes aos setores farmacêutico e de serviços.

Tags: acordo, índia, morte, pena, Ue

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.