Jornal do Brasil

Quarta-feira, 1 de Outubro de 2014

Internacional

'Guardian': Sunitas contra xiitas, um absurdo estratégico

Jornal do Brasil

O jornal londrino The Guardian publica nesta terça-feira (7/1) uma matéria ressaltando que o Oriente Médio está "nas garras" de uma guerra em que nenhum dos lados tem condições de ganhar. A referência é ao conflito na região entre sunitas e xiitas, do Líbano ao Iraque, que o veículo considera "absurdo estratégico", que faz com que o número de mortos seja trágico.

"Se algo pode ser dito com certeza sobre aqueles que morreram nos recentes explosões em Beirute, na luta da semana passada em Fallujah e Ramadi, ou nos últimos bombardeios em Aleppo, é que a morte vai servir a nenhum propósito racional", destaca do texto do Guardian. Segundo a reportagem, os homens que estão envolvidos nessa "carnificina" estão confusos pelo medo, o preconceito, a paixão e o desejo de vingança. "Mas o que dizer daqueles que presidem este derramamento de sangue das capitais distantes?", destaca.

O Guardian diz que a América tem muita responsabilidade pelo desencadeamento na rivalidade entre sunitas e xiitas por sua invasão do Iraque e continua a tentar influenciar o processo. "Essa distinção pertence ao Irã e Arábia Saudita, ambos empenhados em planos irrealistas para o domínio na região ou, pelo menos, por negar a dominação do outro", diz o texto. 

A matéria informa ainda que no Líbano, o estrangulamento do Hezbollah no governo deve afrouxar quando a Síria mudar. E que o erro de cálculo estratégico de Riade é um espelho para Teerã. "Como um estado pequeno em tudo, exceto território de areia e óleo, e distante dos principais centros de população sunita, como ele pode ser tão indecente como imaginar que será confiada por qualquer período de tempo com o destino do coração sunita?", questiona o jornal. 

O Guardian diz que o Irã com o tempo vai aprender os limites naturais de sua possível influência sobre o mundo árabe. Mas é um gigante em comparação com a Arábia Saudita, que tem menos da metade da sua população, pouca terra agrícola, muito menos água, e só a vantagem de um pouco mais de óleo. "Certamente, nessas duas capitais há alguns com sabedoria o suficiente para perceber a falta de sentido de que eles estão fazendo?", questiona.

Tags: bombardeios, CONFLITO, iraque, Médio, Oriente

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.