Jornal do Brasil

Sábado, 19 de Abril de 2014

Internacional

Rússia liberta duas integrantes do grupo Pussy Riot

Para Alyokhina, anistias concedidas pelo presidente Vladimir Putin são uma jogada de marketing

Agência ANSA

Nadia Tolokonnikova, integrante do grupo russo Pussy Riot, foi libertada da prisão nesta segunda-feira (23/12), após receber anistia concedida pela Câmara baixa do Parlamento russo (Duma). A outra integrante do grupo, Maria Alyokhina, que também estava presa, foi solta pouco antes, também beneficiada por anistia. 

Maria Alyokhina e Nadezhda Tolokonnikova foram condenadas em agosto de 2012 a dois anos de prisão, após terem cantado uma "oração" contra Putin na catedral de Moscou.    

A Igreja Ortodoxa russa, que teve um importante papel na prisão das roqueiras, disse estar pronta para um diálogo. "Espero que essas duas senhoras possam reavaliar suas ações e quanta dor causaram ao povo de fé por conta delas", declarou hoje Vsevolod Chaplin, chefe do departamento de relações entre o Patriarcado e a sociedade, que exprimiu o desejo que as Pussy Riot não queiram mais repetir seus atos.

Alyokhina acredita que as anistias concedidas pelo presidente Vladimir Putin pelos 20 anos da Constituição russa são uma jogada de marketing. "Se fosse possível recusar a anistia eu faria, pois não acredito que seja um ato humanitário e sim um golpe de marketing", declarou. 

Tags: Anistia, prisão, pussy, riot, russia

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.