Jornal do Brasil

Sexta-feira, 18 de Abril de 2014

Internacional

Pai de Sean Goldman publica foto do menino nos EUA em site de fundação

Jornal do Brasil

Na véspera do Natal do ano de 2009, o menino Sean Goldman, na época com nove anos, se despedia da sua família brasileira para morar definitivamente nos Estados Unidos, na companhia do seu pai, David Goldman. Sean esteve no centro de uma longa disputa de guarda entre a família brasileira e o pai norte-americano. Pela primeira vez desde a partida de Sean, David postou uma foto dele com o filho, na noite de sexta-feira (20), na página da Bring Sean Home Foundation, uma ONG que dirige voltada para denúncias sobre abdução internacional de crianças. Sean, agora com 13 anos, aparece sorrindo, abraçado ao pai.

Procurada pelo Jornal do Brasil, a avó de Sean, Silvana Bianchi, disse neste sábado (21) que não sabia da postagem da foto na página da ONG, mas que iria acessá-la assim que fosse possível, pois estava fora de casa. Silvana confirmou que não teve mais nenhum contato com o neto desde a sua partida para os EUA e nem tem mais esperança do adolescente voltar a viver no Brasil. Sean deixou no Brasil uma irmã menor, Chiara, fruto do segundo casamento de sua mãe, a estilista brasileira Bruna Bianchi, que morreu em 2008, vítima de complicações no parto.  

Na postagem desta sexta, David destaca que a época do ano marca o retorno de Sean aos EUA e a história do menino inspirou a criação da ONG. David afirma que o ano foi emocionante para os trabalhos da fundação e destaca algumas conquistas da ONG e as atribui aos apoiadores. "É nossa sincera esperança de que as suas manifestações em forma de apoio para as vítimas de rapto internacional de crianças continuará no novo ano e, no fim de 2013 pedimos que, por favor, considere uma doação dedutível para BSHF para ajudar a financiar nossos esforços contínuos. Juntos, podemos trazer mais crianças raptadas pra casa!", diz o texto.

Pela primeira vez desde a partida do menino, David Goldman divulga foto de Sean
Pela primeira vez desde a partida do menino, David Goldman divulga foto de Sean

Caso Sean

Sean Goldman viveu no Brasil durante quase cinco anos antes de retornar aos Estados Unidos com o pai, David Goldman. Ele havia sido trazido pela mãe, Bruna Bianchi, com autorização do pai. Pouco tempo depois, a brasileira se separou do marido e casou um o advogado João Paulo Lins e Silva.

Em 2008, Bruna morreu após complicações no parto de sua segunda filha. Com isso, a Justiça brasileira concedeu a guarda provisória ao padrasto. A decisão foi contestada pelo pai biológico, que iniciou uma batalha jurídica entre o Brasil e os Estados Unidos.

Em 2009, o então presidente do STF, ministro Gilmar Mendes, suspendeu uma liminar que garantia a permanência de Sean Goldman, então com 9 anos, no Brasil. Na mesma semana, o garoto foi entregue ao consulado americano no Rio de Janeiro, de onde embarcou para os Estados Unidos com o pai, David.

Na ação, os advogados de Silvana Bianchi alegaram que o menino foi enviado aos Estados Unidos sem que a Justiça brasileira tivesse consultado se ele preferia permanecer no Brasil ou ir viver com David.

* Com Portal Terra

Tags: abdução, criança, família, guarda, ONG, sean

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.