Jornal do Brasil

Quinta-feira, 24 de Abril de 2014

Internacional

FMI apela a Argentina para corrigir o PIB e a inflação 

Jornal do Brasil

O conselho executivo do Fundo Monetário Internacional (FMI) anunciou nesta segunda-feira (9/12) que a Argentina vai corrigir os índices de confiança do PIB e da inflação, segundo informações do jornal espanhol El País. O governo de Cristina Fernández Kirchner vem negociando há meses com o FMI para evitar as penalidades como impossibilitar empréstimos futuros. Desde 2007, do governo do presidente Néstor Kirchner, técnicos do Instituto Nacional de Estatística e Censos (INDEC) e economistas acusam o governo de subestimar o índice de preços ao consumidor (CPI). Em 2008, quando a crise mundial eclodiu, também começaram as suspeitas de superestimação do indicador que mede o crescimento da economia.

A matéria do El País diz que a polêmica surgiu após as estatísticas argentinas ao FMI sofrerem uma ameaça de "cartão vermelho" em 2012, por causa da suposta manipulação dos números. Como a Argentina está passando por uma escassez de divisas e buscando empréstimos estrangeiros, retomou as negociações para pagar a dívida com o grupo Clube de Paris, que desde 2001 eles pararam de pagar as suas obrigações e que as responsabilidades acumuladas estão na ordem de nove milhões de euros entre o capital e os juros devidos.

O conselho executivo do FMI advertiu que a Argentina não tomou as medidas que lhe pretendiam dar 'rigor' para dados da CPI e do PIB. No final de março, a Argentina deve lançar a nova CPI e deve rever estatísticas do PIB. Outras medidas a este respeito devem ser implementadas entre o final de setembro de 2014 e final de fevereiro de 2015. A diretora-geral do FMI, Christine Lagarde, deve preparar relatórios nos 45 dias após esses prazos sobre a evolução das estatísticas argentinas.

Tags: Conselho, empréstimos, executivo, FMI, fundo, monetário

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.