Jornal do Brasil

Quinta-feira, 24 de Abril de 2014

Internacional

Mais de 50 líderes estrangeiros irão ao funeral de Mandela

Agência Brasil

Mais de 50 de chefes de Estado e de Governo já confirmaram a presença nas cerimônias do funeral do ex-presidente sul-africano Nelson Mandela, entre eles, a presidente Dilma Rousseff e os presidentes norte-americano, Barack Obama; francês, François Hollande, e o primeiro-ministro do Reino Unido, David Cameron, segundo informou a ministra dos Negócios Estrangeiros sul-africana, Maite Nkoana-Mashabane.

Mashabane disse que um grupo menor de autoridades estrangeiras deve visitar Qunu, aldeia natal de Nelson Mandela, onde será sepultado no dia 15.

>> Zuma: morte de Mandela é uma perda sem precedentes para a África do Sul

>> Ex-presidentes acompanharão Dilma aos funerais de Mandela

>> Funeral de Nelson Mandela será no dia 15 de dezembro

>> Brasil decreta sete dias de luto pela morte de Mandela

>> Para Dilma, Mandela foi "personalidade maior do século XX"

>> Para Lula, morte de Mandela é perda de figura extraordinária

>> Líderes mundiais lamentam morte de Mandela

>> Presidentes latino-americanos ressaltam legado de Mandela

>> Leia frases do ex-presidente sul-africano Nelson Mandela

>> Para FHC, Mandela foi figura única e quase um profeta

>> El País afirma que Brasil foi o país que cativou Mandela

>> Papa Francisco homenageia Mandela pela construção de uma nova África do Sul

O presidente do Conselho Pontifício da Justiça e Paz do Vaticano, o cardeal ganês Peter Turkson, será o representante do papa Francisco nas cerimônias. De acordo com o anúncio, divulgado neste domingo (8) pela Santa Sé, na agenda de Turkson está a missa oficial em memória de Mandela, marcada para ocorrer no Estádio Soccer City, no Soweto, em Joanesburgo.

Turkson é arcebispo de Cape Coast, em Gana, e integra o Conselho Pontifício para a União dos Cristãos e a Comissão para o Patrimônio Cultural da Igreja.

Pelo menos 80 mil pessoas devem participar da missa oficial na próxima terça-feira (10). O estádio foi escolhido para a cerimônia por ter sido o local onde Mandela fez sua última grande aparição pública, em 2010.

Tags: áfrica, homenagens, líder, mandiba, morte

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.