Jornal do Brasil

Segunda-feira, 21 de Abril de 2014

Internacional

Venezuela vai investir na produção e venda de veículos para controlar a inflação

Jornal do Brasil

De acordo com a matéria publicada nesta quarta-feira (4/12) no jornal espanhol El País, o governo da Venezuela investirá na produção e comercialização de veículos, como forma de revitalizar o setor e dar continuidade na "ofensiva econômica" para regular os preços de todos os bens e serviços. O plano será estendido para os próximos seis meses e visa corrigir o mercado cambial que rege a economia do país. O governo ainda não estabeleceu as regras de lucro máximo, mas cada item vendido não pode ultrapassar a média de 30%.

O El País destaca que este esforço teve início há três semanas, quando o governo de Nicolás Maduro tomou medidas para controlar as transações comerciais, regulando os preços de poucos bens que são produzidos ou importados, especialmente nas lojas comerciais, visando reduzir a inflação que atingiu 45,8% entre o período de janeiro a outubro deste ano.  

Segundo a reportagem, o setor automotivo é um dos que apresenta maior distorção e a sua produção interna está em declínio, em consequência da falta de divisas preferenciais para importação de autopeças e também por causa das disputas trabalhistas decorrentes da fragmentação do movimento operário venezuelano exaltado por Chávez. Além desses fatores, ainda há a proibição de importação pelas empresas automotivas de outros modelos de veículos para atender a demanda. O jornal divulga os números que comprovam essa queda no setor. Em 2007, 491.899 veículos foram vendidos, contra as 100 mil unidades negociadas em 2013.

O governo aposta que as medidas irão estimular o consumo, porém o El País destacou as avaliações de especialistas que preveem um declínio drástico da oferta, "devido à incapacidade do executivo em garantir um abastecimento", diz o texto. E ainda esclarece: "A escassez de veículos fez com que o milagre de um carro usado, com poucos quilômetros rodados, o que em outros países causa uma depreciação da mercadoria, custe muito mais do que um veículo zero quilômetro. O recurso da escassez é muito mais caro".

A matéria ainda detalha uma série de procedimentos inadequados e fraudes que o mercado automotivo no país pratica na tentativa de valorizar e aumentar o preço dos automóveis. No entanto, o governo não está disposto a enfrentar o problema, fornecendo as condições para as empresas do setor aumentar a oferta.

Tags: cambial, comercialização, Governo, maduro, mercado

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.