Jornal do Brasil

Terça-feira, 2 de Setembro de 2014

Internacional

Credibilidade dos Estados Unidos está em risco na Síria

Jornal do Brasil

O jornal americano Washington Post publicou artigo nesta sexta-feira (30/08) questionando a credibilidade dos Estados Unidos em diversos países, relacionando as ameaças de ataque americano à Síria. O artigo foi escrito pelo jornalista David Ignatius, ressaltando que lideres em âmbito mundial concluíram que eles podem desafiar os EUA em uma negativa de guerra, medidas já ultrapassadas, sem ter que pagar um preço por isso.

“Usando o poder militar para manter a credibilidade de uma nação pode soar como uma ideia antiquada, mas é tudo muito relevante no mundo real em que vivemos. Tornou-se evidente nas últimas semanas que o Presidente Obama, cuja política externa é comedida e realista, precisa demonstrar que há consequências para atravessar a sua 'linha vermelha'. Caso contrário, a coerência do sistema global começa a se dissolver”, destaca o artigo. Segundo Ignatius, líderes inescrupulosos estão tentando explorar a tentativa de Obama de separar a América do tumulto do Oriente Médio. “À medida que consideramos essas ações oportunistas, é mais fácil de entendermos a justificativa de um ataque militar punitiva contra a Síria, por usar armas químicas”, ressalta texto de Agnatius.

O jornalista esclarece os últimos acontecimentos trágicos na Síria, informando que o presidente sírio, Bashar Al-Assad ignorou uma clara advertência americana contra o usa de armas químicas. “O que Assad e seus generais acha que aconteceria em resposta a esta flagrante violação das normas internacionais?”, questiona Ignatius, sugerindo em seguida que Assad não deu tanta atenção ao alerta americano, porque em ataques anteriores os EUA não apresentou retaliação significativa.

O artigo traça uma relação da Síria e dos Estados Unidos com os outros países, a partir do episódio do uso das armas químicas e as possíveis consequências que devem surgir no cenário mundial nos próximos dias. Quem deve apoiar os EUA na decisão de atacar a Síria e os motivos de tais alianças são explicadas no artigo de Agnatius. E na sua conclusão, o jornalista afirma: “Obama não vai mudar de opinião e deve autorizar um ataque de retaliação contra a Síria. Mas se ele se move de forma sensata, em coordenação com aliados, vai pelo menos lembrar as pessoas de que o poder militar dos EUA não deve ser considerado como algo tranquilo”, destaca um dos trechos do artigo. 

Tags: Armas, ataque, guerra, químicas, síria

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.