Jornal do Brasil

Sexta-feira, 31 de Outubro de 2014

Internacional

Polícia poderá usar armas durante manifestações no Chile

Agência ANSA

O diretor da polícia chilena, general Alfonso Muñoz, garantiu que os funcionários da instituição não terão dúvidas em usar suas armas diante das agressões de manifestantes durante os protestos sociais.    

Muñoz defendeu a ação dos Carabineros durante a marcha convocada para a quinta-feira pela Confederação de Estudantes do Chile (Confech) e que reuniu mais de 100 mil pessoas.    

O diretor entregou hoje o balanço oficial da manifestação com 472 detidos e 36 policiais feridos e defendeu que a ação dos Carabineros só aconteceu depois que uma policial foi agredida por um manifestante encapuzado, sendo defendida por outro uniformizado sacou sua arma para afastar os manifestantes.    

A versão oficial assinalou que o cabo María Acevedo Pulgar junto com o primeiro-sargento Luis Muñoz realizavam trabalhos de patrulha quando foram alertados de um ataque a uma farmácia no centro de Santiago.    

De acordo com a polícia, ao chegar ao local, a funcionária recebeu uma pedrada na cabeça e sofreu uma contusão craniana, o que levou Muñoz a sacar sua pistola para amedrontar aos encapuzados que tentavam continuar os atacando.    

O diretor garantiu hoje que "diante da iminente agressão a um policial, não se duvidará em nenhum momento fazer uso dos meios que a lei permite para proteger um integrante da instituição, inclusive fazendo uso de sua arma de fogo". 

Tags: Armas, chile, confrontos, passeatas, polícia

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.