Jornal do Brasil

Domingo, 25 de Fevereiro de 2018 Fundado em 1891

Internacional

Iraque e Síria restabelecem relações após 25 anos de ruptura

Jornal do Brasil

EFE

BAGDÁ - O Iraque e a Síria retomaram nesta terça-feira suas relações diplomáticas plenas após 25 anos de ruptura, um passo que Bagdá espera que ajude ao restabelecimento da segurança em território iraquiano.

O acordo foi assinado pelo ministro de Assuntos Exteriores do Iraque, Hoshyar Zebari, e seu colega sírio, Walid al-Moualem, o primeiro emissário sírio desta categoria a visitar Bagdá desde a queda do regime de Saddam Hussein, em 2003.

Tanto Moualem como Zebari qualificaram de "frutíferas" as conversas do chanceler sírio no Iraque e ressaltaram que se concentraram no restabelecimento da cooperação bilateral em todos os âmbitos, entre eles o da segurança.

- Em breve, serão nomeados os embaixadores nos dois países, e a bandeira da Síria será içada em Bagdá e a do Iraque, em Damasco, disse o ministro iraquiano em entrevista coletiva conjunta com Moualem.

- Esperamos que este passo seja seguido por medidas práticas para que tenhamos canais de contato permanentemente abertos, disse.

Moualem reiterou que a Síria - apóia o processo político no Iraque e é contra qualquer tentativa de saboteá-lo, já que a alternativa não serviria nem ao Iraque nem aos demais países da região.

Várias autoridades dos Estados Unidos e do Iraque tinham acusado repetidamente a Síria de não fazer o suficiente para impedir a entrada em território iraquiano de - terroristas não iraquianos - através da fronteira comum.

O porta-voz da força multinacional no Iraque, general William Caldwell, assegurou na segunda-feira, pouco após a chegada de Moualem a Bagdá, que entre 50 e 70 combatentes estrangeiros entram no país a cada mês vindos da Síria.

Apesar de tudo, a visita do ministro sírio coincidiu com pedidos nos EUA a favor de um papel sírio e iraniano no restabelecimento da segurança no Iraque e o apoio ao plano de reconciliação nacional do primeiro-ministro iraquiano, o xiita Nouri al-Maliki.

Zebari desmentiu hoje, no entanto, as informações que circulam sobre uma suposta cúpula em Teerã entre os presidentes do Iraque, da Síria e do Irã.

O ministro iraquiano confirmou, ao mesmo tempo, que o presidente do Iraque, Jalal Talabani, visitará Teerã, provavelmente no próximo sábado, convidado por seu colega iraniano, Mahmoud Ahmadinejad.

Zebari também disse que Talabani aceitou um convite do presidente sírio, Bashar al-Assad, para visitá-lo em Damasco, em uma viagem que "realizará em breve".

A Síria rompeu suas relações diplomáticas com o Iraque em 1982, após acusar Bagdá de incitar as revoltas que os Irmãos Muçulmanos fizeram no país esse ano. Além disso, Damasco foi o único país árabe que apoiou Teerã na guerra entre Irã e Iraque (1980-1988).

Os dois países restabeleceram suas relações comerciais nos últimos anos do regime de Saddam Hussein, mas, desde a queda do regime, em abril de 2003, nenhum ministro sírio tinha viajado a Bagdá.

Durante sua estadia no Iraque, Moualem se reuniu com Talabani, Maliki e vários ministros do Governo iraquiano, entre eles os de Interior e Finanças.

Moualem também foi recebido por Abdel Aziz al-Hakim, líder da Assembléia Suprema para a Revolução Islâmica no Iraque, considerada a principal formação política xiita do país

Compartilhe: