Jornal do Brasil

Quinta-feira, 22 de Junho de 2017

Informe JB

Filho de Sérgio Cabral é expulso de camarote na Marquês de Sapucaí

O deputado federal Marco Antônio Cabral (PMDB-RJ), filho do ex-governador Sérgio Cabral, foi expulso duas vezes do mesmo camarote na Marquês de Sapucaí. Segundo informações da coluna Radar Online, na madrugada de terça-feira, Marco Atonio foi expulso primeira vez. No sábado do Desfile das Campeãs, o caso se repetiu. 

Marco Antônio estaria sem a pulseira que dá acesso, e insistiu com a segurança dizendo que entraria “de qualquer maneira”, junto com dois amigos. 

Foi impedido e arrumou uma confusão já quase 5h da manhã. “Não bota a mão em mim. Sabe quem sou eu?”, disse para um dos seguranças. Uma das recepcionistas teria respondido: “Sei. E você não tem condição moral de achar que manda alguma coisa aqui”.

Marco Antônio Cabral
Marco Antônio Cabral

Publicitário vincula campanha de filho de Cabral a repasse de R$ 7,7 milhões

O publicitário Francisco de Assis Neto, conhecido como Kiko, vinculou o dinheiro vivo entregue no escritório de sua empresa à campanha de Marco Antônio Cabral. Kiko foi preso no início de fevereiro, ao desembarcar no Aeroporto Internacional Tom Jobim, no Rio. Ele era considerado o último foragido da Operação Eficiência, que investiga esquema de lavagem de dinheiro e recebimento de propinas pelo ex-governador do Rio Sérgio Cabral. Kiko era ex-assessor da área de Comunicação do governo Cabral.

Os doleiros Renato e Marcelo Chebar relataram, em delação premiada ao Ministério Público Federal, o repasse de dinheiro em espécie na sala da Corcovado Comunicação, empresa de Kiko. De acordo com planilha entregue pelos dois, a empresa foi o destino de R$ 7,7 milhões em dinheiro em 2014.

De acordo com Kiko, a quantia teria sido repassada na sala de sua empresa cedida de graça para a campanha de Marco Antônio. No local, trabalhava uma funcionária da Corcovado identificada como Danielle. Ainda segundo o publicitário, ela relatou que recebia valores para honrar os compromisso de campanha do então candidato. Kiko disse não saber o total repassado desta forma.

Os R$ 7,7 milhões superam o valor declarado por Marco Antônio Cabral ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) como gasto de sua campanha, que foi de R$ 6,8 milhões. A Corcovado Comunicação também não aparece como fornecedora da candidatura. Kiko trabalhou na campanha do filho do ex-governador e era o responsável por levantar os gastos.

Tags: cabral, camarote, Carnaval, expulso, Filho, sapucaí, Sergio

Compartilhe: