Jornal do Brasil

Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

Informe JB

Aparição global de Beltrame provoca a ira de bombeiros e PMs

Igor Mello

A participação do secretário de Segurança Pública, José Mariano Beltrame, no programa Esquenta, da TV Globo, no último domingo (20), não poderia ter soado pior entre bombeiros e policiais militares. Tudo porque alguns policiais de Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) foram levados para dançar funk fardados ao lado de assistentes de palco, fato considerado vexatório para a imagem da corporação, principalmente pelos agentes que se envolveram no movimento por melhores salários e condições de trabalho em 2012.

O vereador Marcio Garcia (PR-RJ), um dos líderes do movimento dos bombeiros, questiona a diferença de critério do comando da Polícia Militar, que costuma ser rigorosa com o uso da farda. Para ele, claramente, é um caso de dois pesos e duas medidas: "Se um policial colocasse na Internet um vídeo dançando funk com a esposa em casa com certeza seria preso. Essas iniciativas do governo são repudiadas pelas corporações. É muito triste ver as fardas serem usadas dessa forma", criticou.

Marcio Garcia lembra ainda que o código de conduta das categorias proíbe o uso da farda em uma série de situações, o que é ignorado quando convém às autoridades: "Nós somos proibidos de participar de protesto fardados, mas quando é algo que agrada ao governo, como este programa, o uso é liberado, e nada acontece. É uma grande contradição".

Uso político

O vereador não estranharia se este fosse o pontapé inicial de uma candidatura de Beltrame ao governo do estado, como cabeça de chapa ou vice. Para ele, "essa exposição pode ser um indicativo" de que o gaúcho pode ter resolvido abraçar a vida política, ideia que sempre fez questão de negar:

"Ele ocupa um cargo político, é secretário de governo. É possível que aquela situação seja por isso, sim. Seria bem comum, outros que ocuparam o cargo já fizeram o mesmo", argumenta.

Tags: Governador, PM, PMDB, eleição, márcio garcia, secretário, segurança pública

Compartilhe: