Jornal do Brasil

Sábado, 18 de Agosto de 2018 Fundado em 1891
Informe JB

Informe JB

Jan Theophilo


O cabo e o capitão

Jornal do Brasil

O debate entre os presidenciáveis promovido anteontem pela Band não teve vencedores, mas pelo menos um fato novo: o extravagante Cabo Daciolo, candidato do Patriotas. Não pela relevância de suas intervenções, quase sempre patéticas, mas por se mostrar uma réplica ainda mais grosseira do que o tosco Bolsonaro.  O experiente jornalista Ricardo Bruno fez ontem uma pesquisa no Google que corrobora esta análise. Antes da transmissão começar, Jair Bolsonaro praticamente monopolizava as buscas, com 70% do total. Porém, ao final do debate, sua porcentagem caiu para 25%, quase empatado com Cabo Daciolo, que saiu de 1% para 22%. Ciro Gomes e Guilherme Boulos também foram nomes bastante procurados, e chegaram aos 14%. Por outro lado, Marina Silva e Geraldo Alckmin, candidatos dos mais antigos no pleito, dividiram a lanterna, com míseros 4% de buscas.  É a velha história, nada nunca é tão ruim que não possa piorar.

Varre, vassourinha

A gravata apertada sobre o colarinho aberto que Jair Bolsonaro usou anteontem no debate do Band evocou, em alguns observadores, um certo estilo Jânio Quadros. Para parecer, o máximo que podia, um homem do povo, o ex-presidente gostava de usar roupas velhas, jogava talco no paletó para parecer que tinha caspa e, nos comícios, sacava do bolso sanduíches de mortadela que devorava como se fosse a última refeição.

Vesti azul

E o que era aquele terno azul com camisa azul que Alvaro Dias usou no debate da Band? O ton sur ton involuntário fazia com que ele quase desaparecesse no cenário. Teve gente no Podemos que reclamou até da falta de gravata do candidato. “Se alguém ali não podia estar sem gravata era ele”, chiava ontem um dirigente fashion do partido.

Não custa nada

Wladimir Garotinho sonha grande. Candidato a federal pelo PRP, o primeiro-filho quer fazer da campanha deste ano, trampolim para uma candidatura à prefeitura do Rio em 2020. Vai ter que fazer mais votos que a irmã Clarissa, candidata pelo PROS, que ambiciona a mesma vaga.

Força invasora

Associações de Moradores ouvidas pela coluna dizem que as violências e abusos do Grupamento de Operações Especiais da Guarda Municipal, como a bizarra tentativa de prisão de um violinista registrada ontem, não são exceção. E ainda querem dar armas de fogo para esse pessoal.

Poucas vagas

Depois do PP são os candidatos a deputado do PTB que começam uma grita contra o chapão de Eduardo Paes ao qual o partido aderiu. A rapaziada se deu conta que entrou numa fria. Pela composição proporcional ao qual entrou, o PTB teme não reeleger sequer a Cristiane Brasil. 

Bateu, levou

Tinha duas páginas, seis parágrafos, 26 linhas, 283 palavras e quase 20 adjetivos a nota que Jorge Picciani soltou, anteontem, para rebater as acusações de Marcelo Freixo de envolvimento na morte de Marielle. O hômi está uma fera. Não será surpresa para esta coluna se nos próximos dias vazar outro foco das investigações, por exemplo, um que descobriu podres podríssimos de uma suplente do PSOL.

“Tall and tanned”

Nem só de Anitta vive a musica brasileira fora do Brasil. O album Legacy & Alchemy, da americana Alexandra Jackson,  com versões em inglês de canções de Tom Jobim e D. Ivone Lara, está  17ª posição da Billboard, e no Top 20 da Europa. Coisas nossas, muito nossas.

---------

LANCE LIVRE

Fake news e o impacto na sociedade e nas empresas é o tema do póximo Café com Design, realizado pela ESPM-Rio no Rio Design Leblon terça-feira. O deputado Luiz Carlos Ramos (PR), conseguiu a liberação de R$ 1,8 milhão do Governo Federal para reforma do Hospital Veterinário da Universidade Rural. A turnê Estaciones, que marca o lançamento do novo CD do duo Scofano-Minetti, chega a Sala Baden Powell na próxima quarta-feira.



Tags: bolsonaro, daciolo, informe jb, política, rio

Compartilhe: