Jornal do Brasil

Quarta-feira, 20 de Junho de 2018 Fundado em 1891
Informe JB

Informe JB

Jan Theophilo


Hora dos adultos na sala

Jornal do Brasil

Quando o navio está afundando, é criancice brigar para ver quem fica com a melhor cabine. Assim o presidente do PSB do Rio, deputado Alessandro Molon, resume o enrosco em que estão enfiados os partidos de esquerda do Rio. O parlamentar socialista está na vanguarda dos que defendem uma união entre todos os partidos do campo da esquerda, a nível nacional, em torno da candidatura de Ciro Gomes (PDT). 

Mas a nível estadual, a coisa anda um pouco mais complicada (como se fosse possível). Molon defende uma composição deste mesmo campo no estado, no que tem encontrado eco entre os dirigentes do PDT,  PC do B e até no PT. Mas o problema, pra variar, é o PSOL. “Eles não aceitam nem uma composição em torno de um nome deles”, diz Molon. “O momento é grave demais para se marcar posição”. 

A direção do PSOL acredita que, taticamente, o momento é importante para o crescimento e consolidação do partido. Por isso não querer alianças com ninguém. No ardor de querer se mostrar diferente de tudo que aí está, principalmente do PT, o PSOL adquiriu depressa demais uma das piores características da cultura petista. Toda vez que precisa escolher entre o país e o PSOL, o PSOL escolhe o PSOL.

A federal da federal

"Vários colegas me pediam para entrar na política e representá-los”

Ela chamou atenção nas operações da PF no âmbito da Lava Jato no Rio, e agora vai disputar uma vaga em Brasília. A escrivã Cláudia Horchel, também conhecida como “Louraça da Federal”, filiou-se ao Podemos por onde será candidata a deputada federal. “Desde o ano passado, vários colegas me pediam para entrar na política e representá-los”, diz Cláudia. “Fui convidada por três legendas, e escolhi o PODEMOS por ser um partido relativamente novo, com uma bandeira forte anticorrupção”. A coluna deseja toda a sorte a Claudia na campanha!

Efeito Meghan 

Na última semana, a Duloren registrou um crescimento de 50% nos pedidos de sutiã de modelo bustiê sem alça, em relação ao mesmo período da semana anterior. A única explicação para o fenômeno, segundo a maior distribuidora de lingerie do país, é o modelo do vestido de noiva de Meghan Markle. Os modelos ombro a ombro prometem bombar na próxima estação. 

Todos contra um 

A candidatura de Jair Bolsonaro à Presidência despertou um novo fenômeno:  torcidas organizadas antifascistas nos principais clubes brasileiros. A mais atuante é a do São Paulo, com 13 mil filiados, seguida pela do Grêmio com 11,5 mil e a do Flamengo com 9 mil seguidores.

Assédio na Ancine 

Alguma coisa anda fora da ordem na Ancine. Servidores estão denunciando um clima de “caça às bruxas” desde que o novo presidente, Christian de Castro Oliveira, assumiu em janeiro. O assunto vinha sendo mantido sob sigilo até que, no dia 30, um dos fiscais de contrato apresentou um termo de exoneração, acusando formalmente a gerente de administração, Suelli Dallou, e o secretário de Gestão Interna, Renato Cader, de assédio moral.

Tempo quente 

O clima esquentou, anteontem à noite, durante um show do MPB-4 no Teatro Rival.  Depois dos músicos puxarem o grito de “censura nunca mais”, a plateia se dividiu. De um lado, os tradicionais “Lula Livre” e “Fora Temer”; do outro vaias e xingamentos diversos. Isso ainda não vai acabar bem.

__________

LANCE LIVRE

• Sady Bianchin dirige o espetáculo multilinguagem “Memórias de Fogo”, que estréia quarta-feira no Centro Cultura da Justiça Federal. 



Tags: coluna, colunista, domingo, impresso, informe, jb

Compartilhe: