Jornal do Brasil

Terça-feira, 22 de Maio de 2018 Fundado em 1891
Informe JB

Informe JB

Jan Theophilo


Avenida Leonel Brizola

Jornal do Brasil

Leonel Brizola Neto lembra que era sempre alvo da mesma trolagem nos tempos de escola. “Bastava assinar o nome numa lista de presença qualquer, que a turma cravava em sequência: João Figueiredo, José Sarney, Lula”, conta ele em uma divertida conversa com a coluna na qual deixou claro que, apesar de ter sido cotado para candidatar-se a federal, não estará no páreo para as eleições de outubro. Vereador em terceiro mandato, (“um brizolista no PSOL”, brinca) ele cresceu sob a sombra e influência  do avô. Recentemente, o edil foi convencido pelos amigos que o velho caudilho merecia do Rio uma homenagem por sua história e tudo que fez pelo estado. Como seria isso? A resposta foi óbvia: dando seu nome a uma via publica grandiosa por meio de um projeto de lei. A primeira opção cogitada foi a Linha Vermelha. Mas, infelizmente, cunhado é parente, e ela já está batizada com o nome de João Goulart. E nem pensar na Linha Amarela, que se chama Carlos Lacerda. A alternativa vai fazer muito emergente da Barra dar com a cabeça na quina da hidromassagem: a Avenida das Américas. 

Cabelo, cabeleira 

Um detalhe na longa cabeleira do vereador Babá chamou a atenção anteontem durante o tradicional encontro de prestação de contas do PSOL no Buraco do Lume, Centro do Rio. Sempre que o edil abaixava a cabeça para pegar seus folhetos políticos na banqueta, a raiz embranquecida na divisão do corte contrastava demais com o negro asa da graúna que domina a juba do combativo parlamentar. 

Bola preta 

O antropólogo Rubem César, pré-candidato do PPS ao governo, sondou o PT para ver se conseguiria apoio à sua aventura eleitoral. Ouviu como resposta que se estivesse filiado ao PSB até tinha jogo. Mas no PPS, nem pensar.

Pra frente, Brasil 

A fotógrafa canadense radicada em Nova York Naomi Harris lança mês que vem um livro com as transexuais mais bonitas de todo o mundo. O Brasil emplacou três nomes na lista. As modelos Sabrina Ernst, Fernanda Vermant e Viviany Beleboni.

Ctrl C 

Na Assembléia do Rio, nada se perde, nada se cria e tudo se copia. O Diário Oficial da Alerj trazia sexta-feira o PL 4033 /2018, do ilustre deputado Figueiredo (PROS), que regulamenta a profissão de sepultador (coveiro) no Estado. Fundamental a iniciativa. 

Ctrl V 

O texto cava fundo (ops) nas atribuições profissionais da categoria. Entre elas preparar sepulturas e manter a limpeza e conservação de jazigos e covas. Até aí tudo bem, se o texto não fosse uma cópia escarrada de outro projeto de lei  (PL 251/2018) apresentado em São Paulo dias antes pelo deputado estadual Chico Sardelli (PV). Até a justificativa é rigorosamente a mesma. 

Hotelaria 

Pouco mais da metade dos quartos de hotéis do Rio estarão ocupados neste feriadão de 1º de maio. A informação é resultado de um levantamento da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis, que até sexta-feira registrava uma ocupação média de 41%.  Como 77% destes turistas são brasileiros,  turma que costuma reservar em cima da hora, a previsão é que a ocupação média chegue a 65%. A ABIH-RJ apurou, ainda, que a ocupação dos principais destino do interior já está em 71%, contra 68,72% do ano anterior.

Vida que segue 

Ao que tudo indica, o empresário Georges Sadala, um dos participantes da farra dos guardanapos que chegou a ser preso pela Lava Jato, está de volta à ativa. Tem sido visto dando expediente em um escritório do Quartier Ipanema.

LANCE LIVRE

A organização Médicos Sem Fronteiras e a ICF (Internacional Coach Federation) firmaram parceria. Membros da ICF-RJ irão trabalhar como voluntários para apoiar o desenvolvimento dos líderes e de outras posições estratégicas.  O clássico da literatura infantil “A Dama e o Vagabundo” , reestreia dia 5 de maio no Teatro Fashion Mall, às 17h.



Tags: artigo, informe, jan, jb, theophilo

Compartilhe: