Jornal do Brasil

Acervo

Taxas futuras de juros oscilam em meio a dólar fraco e cautela com risco Lula

Jornal do Brasil

Após começar a sessão em baixa puxada pelo dólar fraco, os juros futuros passaram a subir na manhã desta sexta-feira, 22. Há um pano de fundo de cautela, já que a Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decide sobre o pedido da defesa do ex-presidente Lula na próxima terça-feira, 26, que pode resultar em suspensão da prisão caso seja acatado, diz um operador de renda fixa.

De acordo com juristas consultados pelo Broadcast, serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado, uma vitória de Lula na semana que vem pode possibilitar que ele seja candidato nas eleições presidenciais de outubro deste ano, ao menos até que os recursos especial e extraordinário sejam analisados na própria corte e no Superior Tribunal de Justiça (STJ). Vale lembrar que mesmo preso desde abril deste ano em Curitiba, Lula segue liderando todas as pesquisas de intenção de voto em que seu nome aparece.

Contudo, a alta poderá ser contida tendo em vista que o Tesouro volta a realizar leilões extraordinários de compra e de venda de NTN-F e LTN (11h30) e compra e de venda de NTN-B (12h30). O BC também ofertará até R$ 10 bilhões em operação compromissada de 9 meses (12h).

No começo dos negócios, o recuo das taxas acompanhou a queda do dólar ante o real, depois dos ajustes ontem pós-Copom e IPCA-15, em meio ao início do jogo do Brasil contra a Costa Rica, na Copa da Rússia.

Nesta quinta-feira, 21, as taxas curtas fecharam estáveis e as demais, em leve alta, depois de o Copom deixar a porta aberta para as próximas decisões, podendo manter a Selic em 6,50% ou começar com o ciclo de aperto monetário. A curva de juro, no entanto, precificava ontem 70% de chance de um aumento de 0,50 ponto porcentual da reunião de agosto.

Às 9h26, o DI para janeiro de 2021 estava em 9,76%, de 9,74% no ajuste de quinta. E o DI para janeiro de 2023 avançava a 11,19, de 11,17% no ajuste de ontem. O dólar à vista caía 0,40%, aos R$ 3,7508. O dólar futuro de julho recuava 0,45%, aos R$ 3,7555.



Tags:

Recomendadas para você