Jornal do Brasil

Acervo

Espanha vence Irã no sufoco e fica perto das oitavas

Jornal do Brasil

Com um gol solitário e acidental de Diego Costa, a Espanha derrotou o Irã por 1 a 0 e se juntou a Portugal na liderança do grupo B da Copa do Mundo de 2018.

Depois do movimentado jogo contra os lusos, a "Roja" mostrou dificuldades contra a forte defesa iraniana, que sofrera apenas cinco gols em 18 partidas nas Eliminatórias, e foi às redes somente no segundo tempo, quando a bola rebateu na canela de Diego Costa e entrou.

Em seguida, o Irã ainda teve um gol bem anulado com ajuda do árbitro de vídeo (VAR) e tentou pressionar nos minutos finais, mas faltou qualidade. Ainda assim, os persas seguem vivos na Copa, mas precisarão vencer Portugal, que sofreu contra o Marrocos, para chegar às oitavas.

O primeiro triunfo espanhol em solo russo afastou o risco de queda precoce na Copa, como aconteceu há quatro anos, no Brasil. E também deixou a chave embolada. Espanha e Portugal estão empatados em praticamente todos os quesitos, ambos com quatro pontos. Os espanhóis ocupam o primeiro lugar por conta do número de cartões amarelos. O Irã é o terceiro, com três, e o Marrocos, já eliminado, segue sem pontuar.

>> Veja a tabela do Grupo B

Já a Espanha, com quatro pontos, só depende de um empate com os africanos para garantir sua vaga. O Irã vai duelar com Portugal no mesmo dia, em Saransk.

Primeiro tempo truncado

Depois do empate com Portugal na estreia, a Espanha entrou em campo com uma formação mais ofensiva nesta quarta. Fernando Hierro trocou Koke por Lucas Vázquez. E fez um ajuste na defesa ao devolver Carvajal, poupado na estreia por estar se recuperando de lesão, para a lateral direita. 

Hierro sabia que sua seleção iria encarar uma retranca complicada em Kazan. E a Espanha precisou de poucos segundos em campo para perceber que o Irã iria se defender com até seis jogadores na primeira linha defensiva. E que teria até 11 jogadores atrás da linha da bola.

O resultado foi um duelo franco entre ataque e defesa, em que o Irã levou a melhor durante todo o primeiro tempo ao congestionar sua área e a intermediária. Para ajudar, os espanhóis exibiram afobação de forma precoce no jogo, gerando erros bobos e jogadas mais óbvias. 

O Irã, estacionado na defesa, tentou lances esparsos de contra-ataque no início da partida. E, a partir dos 30, permaneceu no ataque por raros minutos, o que não foi aproveitado pela Espanha como contragolpe.

No fim, alívio

Para o segundo tempo, Hierro manteve a confiança em seus titulares e evitou mudanças. Ele quase foi premiado nos primeiros minutos, quando Piqué e Vázquez perderam grandes chances. Em uma etapa mais movimentada, o Irã buscou o ataque e quase abriu o placar aos 7, com Karim Ansarifard, dando um susto na defesa europeia. 

Os espanhóis foram do susto à festa em apenas um minuto. Numa rápida trama no ataque, a bola sobrou para Diego Costa na defesa iraniana. O zagueiro tentou tirar, mas bateu em cima do atacante, que viu a bola morrer no fundo das redes. 

Em desvantagem, o Irã passou a buscar o ataque. Levou perigo aos 14 e até balançou as redes dois minutos depois. Mas o árbitro assinalou correto impedimento de Ezatolahi, que comemorava o gol com toda a delegação iraniana quando o lance já estava anulado.

Passado o novo momento de apreensão na defesa, a Espanha acalmou o jogo e passou a administrar a vantagem. O Irã teve mais uma boa chance de gol, aos 36, mas não converteu. E os favoritos confirmaram a primeira vitória na competição. 

Irã: Beiranvand; Ramin, Hosseini, Pouraliganji e Hajsafi (Mohammadi); Omid, Ezatolahi, Karim (Jahanbakhsh), Mehdi, Amiri (Ghoddos); Sardar. 

Técnico: Carlos Queiroz

Espanha: De Gea; Carvajal, Piqué, Sergio Ramos e Jordi Alba; Busquets, Lucas Vázquez (Asensio), Iniesta (Koke), Isco e David Silva; Diego Costa (Rodrigo).

Técnico: Fernando Hierro

Cartões amarelos - Amiri, Omid.

Com Estadão conteúdo



Tags:

Recomendadas para você