Jornal do Brasil

Acervo

Operações levam pânico a moradores de favelas do Rio

Jornal do Brasil

Duas operações policiais resultaram em confrontos violentos nesta quarta-feira, 20, no Rio. Nos morro vizinhos do Cantagalo/Pavão-Pavãozinho, entre Copacabana e Ipanema, um confronto entre PMs e traficantes foi registrado desde a manhã. Segundo a PM, duas pessoas ficaram feridas. Mas há informações não-confirmadas de que haveria um homem morto e mais um ferido.

No Complexo da Maré, na zona norte, moradores denunciaram que policiais num helicóptero blindado dispararam para baixo indiscriminadamente. A operação reúne agentes da Polícia Civil e tem apoio de militares do Exército. Um menino de 14 anos teria sido ferido dentro de uma escola, mas a informação não foi confirmada oficialmente.

Policiais da UPP Pavão-Pavãozinho desencadearam a operação junto com o Grupamento de Intervenções Táticas da Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP) contra o tráfico. De acordo com a PM, traficantes atiraram contra os policiais, dando início ao conflito.

Dois homens que seriam traficantes feridos foram socorridos ao Hospital Municipal Miguel Couto, dois outros foram presos e uma pistola, apreendida. A ação ainda não acabou. A UPP foi instalada nas comunidades em dezembro de 2009, contendo a violência por um período, mas recentemente os tiroteios voltaram.

Na Maré, um adolescente de 14 anos teria sido alvejado na barriga dentro do Ciep Operário Vicente Mariano, e levado para o Hospital Getúlio Vargas, na Penha. Também há relatos de traficantes mortos. O Estado pediu informações tanto à Polícia Civil quanto ao Gabinete de Intervenção Federal. A polícia não respondeu ainda. Os militares informaram que apenas apoiaram o deslocamento dos policiais, e que não respondem pela operação.

Na página de comunicação comunitária Maré Vive, no Facebook, moradores da Maré trocam informações sobre a quarta-feira tensa. Foram registrados disparos nas comunidades Vila do Pinheiro, Vila do João e Conjunto Esperança, segundo eles. O Morro do Timbau, Baixa do Sapateiro também fazem parte do raio de ação, segundo o Maré Vive.

"Cuidado especial pra quem mora em casa de telha. Muitos tiros de cima", escreveu uma pessoa. "Olha aí o blindado aéreo dando tiro indiscriminadamente.", diz outra mensagem. "Várias crianças na escola, pessoas assistindo ao jogo da Copa e vocês nessa aí de dar tiro de cima" - foi outra crítica.

Os moradores relataram que estão sendo orientados pela polícia a ficar em casa por conta dos tiros, e que o clima é de muita tensão.



Tags:

Recomendadas para você