Jornal do Brasil

Acervo

Com polêmica na arbitragem, Senegal derrota a Polônia: 2 a 1

Jornal do Brasil AFFONSO NUNES, affonso.nunes@jb.com.br

MOSCOU - No confronto desta terça-feira (19) entre as seleções da Polônia e Senegal, muito se esperava dos atacantes Lewnadowski e Mané, as estrelas das duas equipes. Mas a vitória dos africanos por 2 a 1 no Estádio do Spartak, em Moscou, em partida válida pelo Grupo H, o protagonismo acabou sendo das defesas. O placar não refletiu o que foi a partida, pois um gol nasceu de uma falha da zaga polonesa e o segundo foi fruto de uma decisão controvertida do árbitro Nawaf Shukralla, do Bahrein. Com esta vitória, os africanos assumem ao lado do Japão a liderança do grupo.

Foi uma partida muito fraca tecnicamente. O jogo não fluía no meio campo pois os armadores de ambas as equipes abusavam dos erros de passes da intermediária e a bola mal chegava aos ataques. Mesmo sem ter mais posse de bola que a seleção europeia, o Senegal apresentava mais consistência no toque de bola e criação de jogadas.

A melhor oportunidade senegalesa do primeiro tempo foi aos 18 minutos quando sabaly recebeu excelente passe em profundidade e entrou na área com velocidade mas bateu torto e longe da meta.

>> Veja a tabela do Grupo H

Lewandowski, com atuação apagada, só teve uma oportunidade na primeira etapa quando, aos 22, girou na pequena sobre os marcadores mas o chute saiu mascado e sem perigo.

O primeiro gol senegalês surgiu aos 37 após chute do volante Gueye da entrada da área. A bola, aparentemente despretensiosa, resvala duas vezes na zaga polonesa sendo que o último toque foi do brasileiro naturalizado Thiago Cionek, que deixou o goleiro Szczesny no contrapé.

No segundo tempo as equipes voltaram com maior disposição mas com os mesmos erros da etapa anterior. Aos 5 minustos, Lewandowski teve a chance de empatar em cobrança de falta mas N'Diaye voou no àngulo para inteceptar a cobrança.

A equipe africana equilibou a posse bola e parecia ter mais lucidez, o que faltou ao árbitro do Bahrein, que autorizou a volta do atacante Niang a campo ao mesmo tempo que o volante polonês Krychowiak atrasou uma bola despretensiosa para zaga. Niang apareceu por trás do zagueiro Bednarek, livrou-se do goleiro em velocidade e concluiu para o gol vazio, aos 15 minutos. 

O capitão Lewandoski e seus colegas reclamaram muito com a arbitragem. Em vão, pois o VAR não viu irregularidade no lance, mas mão se pode negar que Niang voltou ao gramado em posição privilegiada.

Após o segundo gol, Senegal passou a cadenciar o jogo, restando aos poloneses partir em desepero para o ataque. Ainda conseguiram descontar aos 42, quando Krychowiak marcou de cabeça após cobrança de falta.

Polônia: Szczesny, Piszczek (Bereszynski), Pazdan, Cionek e Rybus; Krychowiak; Zielinski, Blaszczykowski (Bednarek), Milik (Kownacki), Grosicki e Lewandowski. 

Senegal: N’Diaye, Wagué, Koulibaly, Salif Sané e Sabaly; Alfred N'Diaye (Kouyaté), Gueye,  Sarr, Mané, Diouf (N'Doye) e Niang (Konaté). Juiz: Nawaf Shukralla (Bahrein). Cartões amarelos: Krychowiak, Sané e Gueye.



Tags:

Recomendadas para você