Jornal do Brasil

Acervo

A Copa dos memes: vale tudo na arena digital

Copa da Rússia amplifica seu alcance e ganha o mundo por meio das redes sociais e memes

Jornal do Brasil ANA PAULA SILVEIRA, ANA.SILVEIRA@JB.COM.BR

Se antes torcer era sinônimo apenas de ir ao estádio, acompanhar de perto os resultados e esperar a chegada dos times, hoje a realidade vai além de tudo isso. A internet modificou a forma de as pessoas acompanharem o futebol. A Copa da Rússia é exemplo e vem movimentando as redes sociais, com opiniões e comentários, sobretudo por meio de memes. Antes mesmo de a bola rolar, a disputa já começa irreverente no ambiente online e segue com suas repercussões no pós-jogo. 

Quer um exemplo? Antes mesmo do atacante argentino Lionel Messi perder o pênalti contra a Islândia, os internautas previam que o jogador do Barcelona fosse amarelar. Após derrota da Alemanha para o México, quem não se sentiu vingado pelo fatídico 7 a 1 de quatro anos atrás e se identificou com as piadinhas zoando a atual campeã do mundo? 

Neymar também virou piada após mudança no cabelo, e suas publicações sempre ganham destaque. Ontem, o camisa 10 da seleção brasileira – após desempenho apenas razoável na partida de estreia contra a Suíça – gerou preocupação ao mostrar tratamento do seu pé na ferramenta “Stories” do Instagram. O craque também usa a internet para fazer declarações à amada Bruna Marquezine – que inclusive já arrumou as malas para a Rússia! – e, para relaxar, publica videos ao som de seus hits preferidos ao lado de colegas como Gabriel Jesus. Para fugir das polêmicas, algumas federações decidiram orientar seus jogadores para serem prudentes em suas publicações.

Na era das redes sociais, vale tudo, tudo mesmo. Até as publicações “sem graça”, como a de um vídeo com teor machista gravado na Rússia. Nele, um grupo de brasileiros aparece com uma russa, induzindo-a a cantar em português um refrão com expressões chulas. Um dos brasileiros seria Diego Valença Jatobá, ex-secretário de Turismo de Ipojuca (PE). A Embaixada da Rússia recebeu cartas de brasileiros que, constrangidos e revoltados, pediam desculpas pelo episódio e pelo comportamento do grupo que vestia a camisa da seleção. 

O especialista em marketing digital Sandro San alerta que, apesar de aproximar as relações, a ferramenta pode trazer prejuízos aos usuários. “Com os celulares, a acessibilidade é grande. Não há filtros e limites para nos expressarmos. Isso faz com que a pessoa pegue as redes e se expresse por impulso”.

San acrescenta que as pessoas perdem o senso de que muitas outras podem ver aquilo que foi publicado e acabam se expressando de  forma impulsiva, sem pensar nas consequências. “Não têm a dimensão real do impacto que as coisas ditas nas redes podem alcançar”, afirma Sandro San, para quem  as redes sociais são uteis para levar informação e diversão quando usadas com respeito. 

Os mais populares

Segundo estudo realizado pelo ECCO, grupo internacional de relações públicas, Portugal lidera como a seleção mais popular nas redes - Facebook, Instagram e Twitter. Já o Brasil fica com o vice no ranking com mais seguidores. Em terceiro está a Espanha, seguida por Argentina e Alemanha. O jogador com mais visibilidade é Cristiano Ronaldo, seguido de Neymar, Messi, James Rodriguez e Iniesta.



Tags:

Recomendadas para você