Jornal do Brasil

Acervo

Preso com transtorno mental

Jornal do Brasil MARIA LUISA DE MELO MALU@JB.COM.BR

Um motorista de ônibus e um jovem com déficit de atenção grave estão entre os 159 presos durante ação em um sítio de Santa Cruz para coibir atuação de milicianos da Zona Oeste, no último dia 7. Segundo informações já divulgadas pela Polícia Civil, a maior parte do grupo (139) não era investigada por participação no bando de milicianos chefiado por Wellington da Silva Braga, o Ecko. Indignados, familiares dos detidos têm feito manifestações constantemente pedindo a revisão das prisões.

Preso no Complexo de Gericinó, Renato da Silva Moraes Júnior, de 23 anos, sofre de déficit de atenção grave. Morador da localidade conhecida como Areia Branca, em Santa Cruz, Renato está sem tomar o remédio controlado recomendado por seu médico. Segundo parentes, ele tem mentalidade incompatível com sua idade. Por conta do problema de saúde, nunca conseguiu emprego fixo, mas ajudava a família com o que ganhava ensacando verduras e legumes em um sacolão da vizinhança e também em uma farmácia. Com a ajuda de R$ 80 por semana, Renato dividia as despesas da casa com o pai, que é ajudante de pedreiro. Na casa simples, onde vivem também sua mãe e uma de suas irmãs,  a família não tem notícias de Renato. As reportagens sobre o caso têm sido acompanhadas na casa de vizinhos, porque o único aparelho de TV da família não funciona: “O pai dele não conseguiu autorização para visitar e entrar com roupas e remédios. É como se ele fosse autista. Essa situação é absurda”, diz a prima de Renato, Tâmara Nogueira. 

A escrevente de cartório Camila de Oliveira da Silva, de 27 anos, também queixa-se da prisão do marido. Segundo conta, o motorista, Fábio Pereira da Silva, 35 anos, trabalha há seis anos na empresa CS Brasil, prestadora de serviços da Comlurb. Junto com a carteira de trabalho do marido assinada, Camila guarda também o comprovante de que ele trabalhava até pouco antes de ir, com ela, ao show de pagode no sítio e ser preso. “Miliciano trabalha de carteira assinada? Não que eu saiba. Meu marido já ganhou até prêmio de bom funcionário”, diz. Uma nova manifestação dos familiares está marcada para hoje, às 9h, em frente ao Fórum de Santa Cruz.  



Tags:

Recomendadas para você