Jornal do Brasil

Acervo

Em março, operadoras de celular perdem mais de 7 milhões de linhas

Jornal do Brasil

O Brasil registrou uma perda de 2,88% no número de linhas móveis em março, de acordo com balanço apresentado hoje (20) pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). Foram registradas 7.004.099 linhas a menos, com o mês terminando com 235.786.195 linhas móveis em operação.

De acordo com a Anatel, foram registradas 145.149.859 linhas móveis pré-pagas e 90.636.336 pós-pagas. Os dados reafirmam a tendência de diminuição no número de linhas pré-pagas. Em 12 meses, as linhas pré-pagas apresentaram uma diminuição de 10,58%, com 17.165.849 de linhas a menos. Já as pós-pagas apresentaram aumento de 12,63%, com a adição de 10.161.750 linhas.

Os números mostram, entretanto, que em relação a fevereiro de 2018, março apresentou um pequeno aumento de 0,06% no número de linhas, com a entrada em operação de 130.690 linhas.

Comparado a fevereiro de 2018, em março houve redução de 0,61% nas linhas pré-pagas, com 891.162 unidades a menos. Enquanto o pós-pago apresentou crescimento de 1,14%, com 1.021.852 novas linhas.

Empresas

Entre as principais operadoras de telefonia móvel, a Vivo apareceu na frente com 31,85% da participação no mercado e somando 75.098.239 linhas. Em seguida vem a Claro, com uma fatia de 24,94% e 58.808.972 de linhas; pouco atrás e em terceiro lugar vem a Tim, com 24,94% do mercado e 57.894.072 de linhas. A Oi aparece em quarto com 38.782.463 de linhas e 16,45% de participação.

Entre as grandes operadoras, a Vivo registrou aumento e 1,49% as outras apresentaram redução no número de linhas. A Oi foi quem mais perdeu, com queda de 7,83% no número de linhas. A Tim vem em seguida, com redução de 6,42% e a Claro que fechou o período com menos 2,37% no número de linhas).



Tags:

Recomendadas para você