Jornal do Brasil

Acervo

Legado de outro mundo: Superman completa 80 anos sem perder influência

Jornal do Brasil JOHANNS ELLER* JOHANNS.ELLER@JB.COM.BR

Poucos chegam à fase octogenária com a vitalidade de Clark Kent. O Super-Homem conquista corações de todas as idades, desde o lançamento do número 1 da revista “Action Comics”, em 18 de abril de 1938. Hoje, a DC Comics lança oficialmente a milésima edição da publicação em tom comemorativo. A trajetória do Superman faz jus à sua história. O super-herói que só demonstra fraqueza diante da famosa kryptonita se manteve imbatível diante do surgimento e da popularização de novas plataformas, como a televisão, o videogame e a internet. Ao invés de sucumbir aos novos formatos, o personagem foi além dos quadrinhos e dominou as novas mídias com filmes, desenhos animados e jogos. 

Criado pelo escritor Jerry Siegel e pelo artista Joe Shuster, o segredo de sua longevidade está na constante renovação e adaptação aos novos contextos. Da primeira capa, com o Super-Homem erguendo um carro nitidamente da década de 1930 sobre sua cabeça diante de uma população apavorada, até a capa de número 1.000, com o super-herói em destaque com a emblemática capa vermelha esvoaçante diante do jornal em que trabalha, o “Daily Planet”, o mundo mudou e o Superman caminhou junto. Atualmente, há poucas pessoas vivas que podem dizer que se lembram do tempo em que ele não existia. 

Nas revistas, acompanhou a infância e adolescência de gerações que atravessaram a Segunda Guerra Mundial, a Guerra Fria e a globalização. No cinema, que popularizou ainda mais a sua figura, Clark Kent foi de Kirk Alyn a Henry Cavill, passando pelo emblemático Christopher Reeve. Passou pelo rádio, os musicais da Broadway e chegou aos videogames, ainda nos anos 1970. Nos quadrinhos, ao longo das últimas oito décadas, a DC criou novos universos e retomou histórias deixadas pelo caminho. 

Outra característica marcante é que, em meio a milhares de personagens criados nos universos da DC e de sua principal concorrente, a Marvel, é o Super-Homem quem serve como padrão de referência para todos os outros heróis dos quadrinhos, ancorado nos valores da verdade e da justiça. Ainda que suas feições e características de comportamento tenham mudado ao longo do tempo, suas superqualidades se tornaram sua grande referência.  

Assumindo os arquétipos do patriotismo americano, a começar pelas cores das roupas, tornou-se exemplo de inspiração no pós-guerra. No entanto, o super-herói nasceu bem longe de Metrópolis. Ele veio de Krypton e foi criado na cidade de Smallville, no Kansas, depois da autodestruição de seu planeta natal. Para disfarçar seus poderes, assumiu a identidade de Clark Kent. 

Apesar do sucesso, sua trajetória não ficou livre de contestações. Muitos alegam que o diretor da saga audiovisual, Zack Snyder, distanciou o Superman de suas origens. Alguns filmes foram muito criticados, como “Superman II: A aventura continua” e “Superman IV: Em busca da paz”. No entanto, a criatividade e a tradição parecem reservar um longo caminho para o super-herói nos quadrinhos e em todos os formatos possíveis. O centenário está ainda menos distante. Afinal, o mundo precisa do Superman.

* Estagiário sob supervisão de Deborah Dumar



Tags:

Recomendadas para você