Jornal do Brasil

Acervo

Exposição 'Rugendas, um cronista viajante' fica até março na Caixa Cultural

Ao lado de Debret, artista foi responsável por divulgar as primeiras imagens do Brasil

Jornal do Brasil

Entre pinturas, aquarelas, desenhos e litografias, a exposição Rugendas, um cronista viajante reúne cerca de 50 obras do artista alemão Johann Moritz Rugendas (1802 – 1858), até o dia 11 de março, na Caixa Cultural do Rio de Janeiro, e com entrada gratuita.

Rugendas foi um dos mais conhecidos artistas viajantes e, ao lado de Debret, foi responsável pela divulgação das primeiras imagens do Brasil no exterior. Em sua trajetória, retratou o país durante os anos 1820 com toda a exuberância da natureza e os costumes da população. Era como se Rugendas fosse, dois séculos atrás, um fotógrafo antes da invenção da fotografia.

Com curadoria de Angela Ancora da Luz, a mostra é dividida em três núcleos: Olhar a terra, com paisagens do Rio de Janeiro, São Paulo e Minas; Olhar o homem, na qual apresenta cenas da vida cotidiana da população brasileira; e Plantas da terra, que traz estudos da fauna e flora brasileira. Entre as obras reunidas estão presentes 36 originais do famoso álbum Viagem pitoresca através do Brasil (Voyage Pittoresque dans le Brésil), considerado um dos mais importantes documentos iconográficos sobre o Brasil do século XIX.

“Ele que, possivelmente foi impactado pela natureza exuberante e pela luminosidade de lenta acomodação aos olhos de um europeu, quando participou da Expedição Langsdorff, retorna a partir de suas obras. A exposição objetiva apresentá-las com o olhar de hoje, comprovando que a arte se recria a cada novo olhar, e que nesta dinâmica ela terá sempre propostas e observações atuais a nos acrescentar, como as que serão apresentadas”, comenta Angela.



Tags:

Recomendadas para você