Jornal do Brasil

Acervo

Virar Paz: Um movimento pela paz no Riode Janeiro

Jornal do Brasil

Virar Paz foi concebido no intuito de discutir e propor reflexões sobre o problema da violência dentro dos territórios mais impactados diretamente por ela: as comunidades, ou favelas.

Quais seriam os dispositivos para promover a PAZ? Diálogo. Arte. Cultura. Esporte. Lazer.

Em tempos de números de guerra no Rio de Janeiro, espaços de diálogo e trocas de conhecimentos são urgentes para pensar estratégias para promoção da paz.  O Virar da Paz, projeto patrocinado pelo Conselho Nacional do SESI, e realização da Amfibra, acontecerá, sua segunda fase, no dia 14 de janeiro (domingo), no Parque de Madureira. O evento irá oportunizar momentos de entretenimento através do esporte, cultura e lazer, visando contribuir com uma sociedade mais justa, sem violência ou preconceitos.

A segunda fase do Virar da Paz trará como tema O FUTEBOL DA PAZ, onde acontecerá um torneio de futebol infanto-juvenil, formado por atletas amadores de diversas comunidades, um Futebol Show com atletas renomados, um jogo entre o time do LÉO MOURA e amigos,  com direito a premiação, medalhas e troféus, tudo como manda o protocolo. Encerrando as atividades, teremos o show da sambista AMANDA AMADO com participação especial do cantor D’Black, ambos ex-THE VOICE. Durante todo o dia teremos diversas ações e brincadeiras para a criançada, nesse dia tão importante para nossos pequenos. 

O Virar da Paz será realizado dia 14 de Janeiro, de 10h às 18h, no PARQUE DE MADUREIRA, R. Parque Madureira, s/n - Madureira, Rio de Janeiro. A Entrada é Franca.

Vale lembrar que este projeto teve uma primeira fase, realizada no dia 09 de dezembro de 2017, no Teatro do SESI no centro do Rio de Janeiro, onde na ocasião o evento contou com palestras e rodas de conversa, que debateram temas como o protagonismo juvenil, o genocídio da juventude negra e pobre e políticas públicas para o jovem. As discussões contaram com nomes como o pedagogo Alfredo Gomes da Costa, - Pedagogo, pós-graduado em Administração de Recursos Humanos, palestrante, escritor e consultor no campo do desenvolvimento social e da ação educativa, Luana Almeida, psicóloga do Programa ViraVida/Rio de Janeiro e Antônio Marcos Inácio da Silva, Jovem Aprendiz, SESI Rio de Janeiro, mediadora Roberta Nacfur Macedo, Assessora de Projetos do Conselho Nacional do SESI.

A questão de gênero também foi tema discutido, por conta dos altos números de feminicídio e trouxe a discussão a Lei Maria da Penha, o combate à violência contra a mulher e o empoderamento feminino que contou com a presença da atriz Naura Schneider e Rafael Luz - psicólogo pelo TJ RJ, professor de psicologia na Estácio de Sá. Mestre em Psicologia pela UFRJ, especialista em Gênero e Sexualidade pela UERJ, Hannah de Vasconcellos, jornalista e pesquisadora na área de feminismo negro e subjetividades.

Outro tema importante debatido foi o preconceito. Em palestras com especialistas como Nélio Georgini, coordenador da Diversidade Sexual da Prefeitura do Rio de Janeiro e Lelette Couto, Produtora Cinematográfica e militante da causa racial e Dr. Thales Treiger, defensor público federal e defensor regional de direitos humanos da DPU/RJ, mediadora Eliane Carvalhar Damasceno, coordenadora da Divisão de Negócios em Responsabilidade Social da FIRJAN, a comunidade pode conversar sobre a importância da valorização da diversidade e o respeito às diferenças, visando formar uma sociedade menos desigual e, por consequência, mais pacífica.

Um movimento pela paz no Rio de Janeiro.



Tags:

Recomendadas para você