Jornal do Brasil

Acervo

Na virada do ano, evite acidentes com fogos de artifício e proteja seu bichinho

Jornal do Brasil

Virada do ano é momento de festejar com fogos de artifício. Consequentemente, aumenta o risco de acidentes e queimaduras. Veja dicas de prevenção da Secretaria da Saúde para evitar lesões nas mãos, braços, rosto ou mesmo auditivas. Confira:

– Nunca use materiais de fabricação caseira;

– Não armazene grande quantidade de fogos em um único local. Uma simples faísca pode causar um grande acidente;

– Nunca solte rojão segurando diretamente na mão. O ideal é interpor com vários rojões já usados ou varetas, deixando uma distância de pelo menos 60 cm da mão e afastado do rosto;

– Não aponte o rojão para onde há aglomeração de pessoas;

– Evite soltar fogos em proximidade com fios elétricos;

– Não se aproxime da fogueira se estiver segurando copos de vinho quente ou quentão. Como são inflamáveis, a proximidade das bebidas com as fogueiras pode resultar em acidentes;

– Se beber, não solte fogos ou mesmo brinque perto de fogueiras;

– Cuidado com a combinação crianças e biribinhas (bombinhas que estouram quando lançadas ao chão). As faíscas podem atingir substâncias com potencial para incêndio, como o álcool utilizado para iniciar o fogo das fogueiras, e provocar acidentes.

Pets x fogos de artifício

A maioria dos animais fica muito assustada com o barulho da queima de fogos. Os cães e gatos têm a audição muito sensível e detectam um som quatro vezes mais distante do que os humanos. Por conta disso, o pânico e o medo desorientam o animal, que tende a correr desesperado e sem destino, colocando sua vida em risco.

É recomendado criar um ambiente aconchegante e tranquilo para acomodar os pets nos momentos de barulho mais intenso, principalmente durante uma queima de fogos. Manter janelas fechadas, arrumar um esconderijo (tipo cabana) com acolchoados para abafar os estímulos auditivos ou colocar uma música suave tocando num volume que ajude a diminuir o som externo, deixará mais agradável o ambiente para o ouvido canino.

Também é importante retirar do ambiente móveis ou objetos que contenham partes com pontas ou de vidro e oferecer um petisco ou um brinquedo para que o animal redirecione a atenção.

Quando o dono consegue saber com antecedência sobre uma queima de fogos, é possível minimizar o sofrimento para o pet com uma longa caminhada horas antes do evento. A atividade é benéfica para enfrentar a situação e ajudará o animal a ficar mais relaxado na hora dos fogos.

Além disso, o comportamento do tutor tem papel fundamental na forma como o animal vai encarar esse desafio. O dono deve ter cuidado para não reforçar o medo, mas passar confiança e tranquilidade na hora de se comunicar com o animal de estimação, buscando agir sempre com naturalidade.

Dica: para minimizar o problema, é fundamental que os donos ensinem os animais a lidar com os mais diferentes estímulos.



Tags:

Recomendadas para você