Jornal do Brasil

Acervo

FBI nega ligação do Estado Islâmico com ataque em Las Vegas

EI havia assumido ataque e dito que atirador americano tinha se convertido

Jornal do Brasil

O FBI afirmou que não há até o momento ligação entre o Estado Islâmico (EI) e o tiroteio em um cassino de Las Vegas. "Não encontramos até esse ponto relação com o terrorismo internacional, mas a investigação continua", disse um oficial da polícia norte-americana em pronunciamento à imprensa. 

O ataque deixou mais de 50 mortos e 400 feridos e é considerado a maior tragédia com arma de fogo na história do país. Mais cedo, o EI havia assumido o ataque e dito que o atirador, o americano Stephen Paddock, de 64 anos, tinha se convertido recentemente ao Islã.

>> Estado Islâmico divulga comunicado formal sobre ataque em Las Vegas

>> Quem é Stephen Paddock, autor do tiroteio em Las Vegas?

Trump usa tom solidário em discurso após ataque em Las Vegas

Sem fazer referência alguma ao terrorismo, ao extremismo ou ao controle de armas de fogo, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, lamentou nesta segunda-feira (2) o ataque ocorrido em Las Vegas que deixou mais de 50 mortos e 400 feridos, no maior tiroteio da história do país. 

O magnata republicano fez um discurso oficial na Casa Branca durante a manhã, mais de 12 horas após o ataque, que ocorreu às 22h (no horário local) deste domingo (1°).

Adotando uma postura totalmente pacífica, Trump pediu solidariedade e união aos norte-americanos, disse rezar pelas vítimas e elogiou o trabalho da polícia e das equipes de resgate. "A ação milagrosa da polícia evitou mais mortes", disse o magnata.  

>> Ataque contra show em Las Vegas mata mais de 50 e fere 406 pessoas

>> "Tragédia sem sentido", diz Papa sobre Las Vegas

>> Não há brasileiros entre vítimas de ataque em Las Vegas

O tom usado por Trump é o oposto de seus pronunciamentos anteriores, nos quais costumava acusar o terrorismo e o extremismo islâmico por episódios de violência no país. Dessa vez, ele cuidadosamente definiu a tragédia como um "ato de maldade".  

O presidente informou que estará em Las Vegas na quarta-feira (4) e que o FBI e os departamentos internos estão trabalhando juntos nas investigações do tiroteio.    

O republicano não deu informações sobre a linha seguida pela polícia, que havia descartado que o episódio fosse um atentado terrorista. Mas o grupo Estado Islâmico reivindicou o ato em suas redes sociais e afirmou que o atirador, um homem originário de Nevada, de 64 anos, Stephen Paddock, convertera-se ao Islã recentemente.    

A família de Paddock, porém, disse estar chocada com o acontecido e que nunca o americano dera sinais de radicalismo religioso ou político. 

Com Ansa



Tags:

Recomendadas para você