Jornal do Brasil

Acervo

Mais um intenso tiroteio leva pânico a moradores da Rocinha

Polícia faz operação contra quadrilha de fraudes em cartões de crédito

Jornal do Brasil

Mais uma vez moradores da Rocinha, na Zona Sul do Rio de Janeiro, viveram momentos de pânico e tensão nesta terça-feira (11), quando policiais e criminosos trocaram tiros durante operação. Durante toda a semana passada, confrontos foram registrados na comunidade. Moradores relatam nas redes sociais o medo e o clima de insegurança. Cerca de 500 alunos estão sem aula devido à violência.

Nesta terça-feira, policiais foram recebidos a tiros na durante operação contra uma quadrilha de fraudes em cartões de crédito. Uma pessoa morreu após ter sido baleada. Pelo menos dez pessoas foram presas, entre elas o chefe do grupo, em diversos pontos do Estado.

Logo no início da operação, houve uma intensa troca de tiros e fogos foram disparados para alertar os criminosos. A operação tem o objetivo de cumprir 17 mandados de prisão e 25 de busca e apreensão. Ações também são realizadas na Barra da Tijuca e Jacarepaguá, Zona Oeste. Máquinas para clonagem de cartões também foram apreendidas.

Últimos dias foram marcados por pesados confrontos em comunidades do Rio de Janeiro 

No domingo (9) a Rocinha foi palco mais uma vez de um intenso tiroteio que assustou os moradores. Um policial foi ferido por estilhaços.

De acordo com a Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP), policiais do Grupamento Tático de Polícia de Proximidade (GTPP) da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) estavam checando uma denúncia sobre homens armados na região conhecida com 199. Eles teriam sido recebidos a tiros pelos criminosos, e reagiram.

O confronto deixou um PM ferido no rosto por estilhaços. Ele foi encaminhado para o Hospital Miguel Couto, no Leblon. Um homem baleado também deu entrada no Miguel Couto, mas sua identidade não foi divulgada.

O caso foi registrado na 11ª DP (Rocinha) e uma ação de varredura acontece na comunidade.

A Rocinha tem enfrentado, seguidamente, confrontos entre policiais e traficantes. A rotina dos moradores é de medo e insegurança. Nas redes sociais, são frequentes os relatos de pânico, preocupação e cobrança de mais segurança por parte do poder público.

>> Operação na Rocinha termina com duas pessoas presas e um menor apreendido

Tiros no Alemão

Na madrugada deste domingo, outra troca de tiros deixou pelo menos duas pessoas feridas na Travessa São José, na Fazendinha, no Complexo do Alemão. Um policial da Unidade de Polícia Pacificadora foi atingido no braço, já um rapaz de 18 anos, que passava no local, foi atingido no tórax.

De acordo com a Coordenadoria de Polícia Pacificadora, policiais da UPP flagraram um homem armado na Travessa São José, e o tiroteio teve início. O criminoso conseguiu fugir.

Os feridos foram socorridos na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Alemão. O jovem, identificado como Frank Teixeira Basílio Jr., precisou ser transferido para o Hospital Getúlio Vargas, onde permanece internado. Já o militar foi liberado após ser medicado.

Policial fica ferido em tiroteio no Morro do São João 

Um policial militar da UPP São João ficou ferido em um tiroteio, por volta das 10h deste sábado (8), no Morro do São João, no Engenho Novo, zona norte do Rio de Janeiro. De acordo com a Coordenadoria de Polícia Pacificadora, policiais militares faziam um patrulhamento na localidade conhecida como Bandeira de Israel, quando se depararam com um grupo armado. Houve troca de tiros, mas os criminosos conseguiram fugir.

Na ação, um dos policiais, não identificado, ficou ferido na perna e no braço. O PM foi socorrido para o Hospital Naval Marcílio Dias, onde permanece em observação. Ainda, segundo informações da Coordenadoria, Equipes do Grupamento de Intervenções Táticas (GIT) das UPPs, do Batalhão de Choque (BPCHq) e de outras UPPs da região estão reforçando o policiamento e realizando buscas pelos bandidos.

Semana marcada por conflitos em comunidades do Rio

Nos últimos dias, os relatos de tiroteios entre policiais militares e traficantes é constante nas comunidades do Rio de Janeiro, nas pacificadas e nas não pacificadas. Na segunda-feira (3), um tiroteio no Complexo da Maré, nas comunidades de Nova Holanda e Vila do João, paralisou duas importantes vias da cidade, a Linha Amarela e a Linha Vermelha. Motoristas, com medo de prosseguir, chegaram a para no meio da vias. Relatos de moradores pelas redes sociais alertavam para o perigo na região. Os conflitos entre traficantes e militares das Forças de Pacificação já interroperam aulas nas escolas da comunidade. Professores e estudantes relatam um deficit quem chega a ser de um mês a dois meses de aulas.

>> Violência na Maré compromete até 2 meses de aulas em um ano

>> Policial é ferido em tiroteio no Complexo do Alemão

>> Dois policiais são baleados no Complexo do Alemão

Na madrugada de quarta-feira (5), um policial foi ferido durante uma troca de tiros entre a PM e traficantes no Complexo do Alemão. O policial foi atingido na perna, mas os criminosos não chegaram a ser pegos. E, mais uma vez, na tarde de sexta-feira (7), houve confronto entre os policiais e traficantes. Dessa vez, dois policiais, da UPP do Conjunto de Favelas do Alemão, ficaram feridos. Os PMs foram levados para o Hospital Getúlio Vargas. Um deles foi baleado no braço e outro, no abdômen. 

>> Tiroteios assustam moradores de comunidades do Rio de Janeiro

>> Tiroteio envolvendo Exército no Complexo da Maré deixa homem ferido



Tags:

Recomendadas para você