Jornal do Brasil

Sábado, 19 de Abril de 2014

Heloisa Tolipan

www.heloisatolipan.com.br

Carrie, a estranha: Chloë Grace Moretz que perdoe, mas feiúra é fundamental!

A nova adaptação do livro de Stephen King para o cinema esquece a beleza de ser estranha!

Existem filmes que jamais deveriam ser refeitos. Essa máxima, geralmente proferida por cinéfilos puristas, é às vezes um exagero, mas perfeitamente aplicável à nova versão de “Carrie, a estranha” (Carrie, Sony Pictures, 2013), que estreou por aqui nesta última sexta feira, 6/12. De fato, algumas obras são tão definitivas, na visão de alguns cineastas, que é absolutamente dispensável qualquer tentativa de recriá-las, a menos que a nova fornada acrescente alguma tinta diferente à história, justificando seu remake.(CONTINUE LENDO AQUI E DEIXE A SUA OPINIÃO)

colunaheloisatolipan@gmail.com

Tags: a estranha, a invenção de hugo cabret, a malvada, al pacino, alfred hitchcock, amy irving, barbra streissand, brian de palma, carrie, chloë grace moretz, cinema, Critica, deixe-me entrar

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.