Jornal do Brasil

Terça-feira, 24 de Abril de 2018 Fundado em 1891

Heloisa Tolipan

www.heloisatolipan.com.br

O tribalismo minimalista de Tufi Duek

Estilista da grife, Eduardo Pombal traz o grafismo das tribos indígenas ao Verão 2012 e prega, em discurso, a preservação da cultura nativa

Heloisa Tolipan

 

Nas araras, por mais que parecesse, não eram amostras de cestaria indígena que estavam penduradas, mas a coleção de Verão da Tufi Duek, sob o comando de Eduardo Pombal, inspirada na arte tribal indígena.

“Toda a história começou quando eu estava na Première Vision (feira têxtil que acontece em Paris) e fiquei impressionando com a riqueza de texturas dos tecidos expostos. Alguns até pareciam as tramas da cestaria indígena e cerâmica”, lembrou o estilista.

Bruna Tenório by Tufi Duek

Na volta ao Brasil, uma passada na loja da Funai, em São Paulo, e, entre livros e artesanato diverso, dezenas de objetos foram levados para casa.

“Percebi que a cultura indígena era muito mais rica do que eu imaginava. Especialmente a riqueza gráfica”.

Do encanto pelos grafismos ao o transporte deles para os modelos foi um pulo, já que a geometria é um dos pontos fortes do minimalismo pregado por Pombal. Quando foi preciso usar brilho, nada de paetês, mas tiras de plástico plissado aplicadas em camadas, para lembrar a estrutura das ocas, já que, indesejadamente, o índio consegue encontrar plástico na natureza, hoje em dia.

Depois desse mergulho profundo nas tribos dos primeiros habitantes do nosso país, não pudemos deixar de perguntar se Eduardo conseguiu formar sua opinião sobre as demarcações de terras indígenas, assunto tão polêmico e turbulento.

“ Como me aprofundei na parte mais lúdica do povo indígena, não pude focar nesse tipo de discussão, mas acho que é necessário preservar a cultura deles. Admiro muito o Japão, increvelmente moderno e arrojado, ao mesmo tempo em que preserva suas raízes e costumes na vestimenta, na arquitetura e no comportamento. Se os índios são a nossa origem, e todo mundo tem um pouco de sangue indígena aqui no Brasil, por que não fazer o mesmo que os japoneses e respeitá-los?”. Fica a dica.

Com Pedro Willmersdorf

 



Tags: são paulo fashion week, tufi duek

Compartilhe: