Jornal do Brasil

Quarta-feira, 18 de Julho de 2018 Fundado em 1891
Futebol & Cia.

Futebol & Cia.

Renato Mauricio Prado


Devagar com o andor

Jornal do Brasil

A segura vitória sobre a Sérvia garantiu a classificação do Brasil como primeiro lugar de seu grupo e levou muita gente a se empolgar e soltar foguetes. Sinceramente, ainda não vejo motivo para tanta festa. O adversário era fraco (o grupo todo era) e a seleção ainda não jogou, na Rússia, nem metade do futebol vistoso que exibiu nas eliminatórias sul-americanas e em vários amistosos.

A melhor notícia de ontem, em Moscou, foi mesmo a nova postura de Neymar. Pela primeira vez nesta Copa ele atuou como jogador maduro, sem tentar apitar a partida, expondo-se a cartões amarelos e vermelhos; sem se jogar ao chão, teatralmente, a cada falta sofrida; sem exagerar nos dribles de pouco efeito prático; sem querer uma bola só pra ele.

A mudança de comportamento merecia até ter sido premiada com um gol, que ele tentou muito, no fim da partida, mas não veio. Ainda assim, o camisa dez foi decisivo, ao puxar um contra-ataque no momento de maior pressão da Sérvia, conseguir um escanteio e cobrá-lo na cabeça de Thiago Silva, que balançou a rede e liquidou a fatura.

O zagueiro foi, aliás, um dos melhores em campo. Além do gol decisivo do Brasil, um pouco antes, evitou um da Sérvia, numa cabeçada que já vencera Alisson. O placar era ainda de 1 a 0. Thiago ganhou praticamente todas as bolas que disputou e formou, com Miranda, uma zaga segura, até mesmo nos momentos de maior pressão do adversário.

Phillippe Coutinho foi outro destaque. Um dos melhores, como em todas as rodadas até agora. Seu passe de quase 30 metros para o gol de Paulinho foi uma obra-prima que Gerson, o canhota de ouro da seleção do tri, assinaria com prazer e orgulho. Ele, e não Neymar, deve ser visto como o craque do Brasil na fase de grupos.

Quem ainda está devendo é Gabriel Jesus. Decepcionante até agora, perdeu uma chance claríssima, logo no início, que poderia ter dado muito mais tranquilidade à seleção. Continuo a achar que Roberto Firmino está em melhor momento técnico e deveria ser o titular.

Ótima notícia foi a surpreendente eliminação da Alemanha – derrotada pela Coreia do Sul! Graças a ela e à vitória da Suécia, o adversário nas oitavas de final será o México, que ontem exibiu todas as suas debilidades e não creio que seja capaz de criar sérios problemas para o Brasil.

A Copa começa pra valer nas quartas de final, onde o time de Tite pode enfrentar Bélgica ou Inglaterra, as seleções que me parecem estar jogando o melhor futebol do Mundial até o momento.

Até lá, devagar com o andor...



Tags: copa do mundo, coutinho, futebol, neymar, renato maurício prado, seleção, sérvia, tite

Compartilhe: