Jornal do Brasil

Quinta-feira, 26 de Abril de 2018 Fundado em 1891

Esportes

Estrangeiros batem recorde e se destacam no Brasileirão 2017

Jornal do Brasil

O Campeonato Brasileiro de 2017 que terminou com a vitória do Corinthians estabeleceu um novo recorde em relação à participação de jogadores estrangeiros. 69 jogadores entraram em campo, superando a marca estabelecida no ano passado quando 68 atletas de outros países vestiram a camisa de clubes brasileiros no torneio. Os estrangeiros representaram cerca de 10% de jogadores inscritos no torneio organizado pela CBF. Um número pequeno comparado às ligas europeias como as da Inglaterra, Itália e Alemanha, que chegam a ter mais de 50% de estrangeiros.

Entre os 20 competidores, apenas o Atlético Goianiense não utilizou jogadores de outras nacionalidades. O primeiro colocado foi o São Paulo, com sete estrangeiros, seguido por Flamengo, Cruzeiro e Grêmio, que inscreveram seis atletas de outros países.

A Argentina foi o país que teve mais representantes (22), seguida por Colômbia (13), Equador (10), Paraguai (5), Chile, Peru e Uruguai (4). O grupo foi completado por Camarões, Turquia e Alemanha, com um jogador cada.

Entre os jogadores que vieram de fora, alguns conseguiram se destacar durante o Campeonato Brasileiro, como os zagueiros argentinos Kannemann e Joel Carli, o paraguaio Balbueba, o meia venezuelano Otero e os atacantes Paolo Guerrero, do Peru e Lucas Pratto, da Argentina, além do também paraguaio Ángel Romero.

Confira os gringos de destaques de cada time em 2017:

CORINTHIANS - No campeão brasileiro, brilharam dois jogadores paraguaios: o zagueiro Balbuena, um dos melhores da sua posição e o atacante Romero, que venceu a desconfiança da torcida para se tornar um dos jogadores mais importantes da equipe. O atacante inglês naturalizado turco, Kazin, sempre foi reserva e pouco participou dos jogos.

PALMEIRAS - O zagueiro colombiano Mina foi o mais efetivo da equipe de Palestra Itália. O atacante colombiano Borja nunca conseguiu corresponder às expectativas, enquanto o meia venezuelano Guerra começou muito bem, mas problemas pessoais e lesões acabaram prejudicando seu rendimento.

SANTOS - O time da Vila Belmiro utilizou quatro estrangeiros, mas apenas o atacante colombiano Copete teve um rendimento aceitável, marcando gols importantes. Os argentinos Noguera, zagueiro, e Vechio, meia, não conseguiram se firmar, assim como o atacante colombiano Vladimir Hernandez.

SÃO PAULO - A irregularidade durante a competição fez o São Paulo contratar sete estrangeiros, recordista do Brasileiro em aquisições. Dos que vestiram a camisa tricolor, apenas o atacante Lucas Pratto, o meia peruano Cueva e o zagueiro equatoriano Arboleda conseguiram aparecer com destaque. O lateral Buffarini, o meia Gómez e o atacante Chavez, todos argentinos, não tiveram bom rendimento. O experiente uruguaio Lugano quase não foi aproveitado.

PONTE PRETA - Na rebaixada equipe de Campinas, dois jogadores passaram sem deixar saudades. O volante argentino Mendoza e o atacante boliviano Ali.

FLAMENGO - O rubro-negro da Gávea contou com seis estrangeiros. O peruano Paolo Guerrero, maior esperança de gols, viveu às voltas com lesões e acabou suspenso por doping. O meia argentino Conca esteve apenas 27 minutos em campo, enquanto seu compatriota Mancuello, que chegou como grande esperança, acabou como mais uma decepção. O lateral peruano Trauco e o volante colombiano Cuéllar tiveram bons momentos e acabaram o ano como titulares do técnico colombiano Reinaldo Rueda. O atacante Berrio alternou bons e maus momentos, mas sofreu uma grave lesão que o tirou da equipe.

VASCO - O goleiro uruguaio Martín Silva manteve a regularidade de outras temporadas e foi o melhor estrangeiro da equipe de São Januário. O argentino Escudero e o atacante colombiano Manga Escobar não chegaram a empolgar. O argentino Andrés Rios conseguiu ser titular depois que Zé Ricardo assumiu o comando da equipe de São Januário.

BOTAFOGO - No Botafogo, o paraguaio Gatito Fernândez, que barrou o ídolo Jéfferson, e o zagueiro argentino Joel Carli foram os estrangeiros de maior destaque. O meia Montillo sofreu uma grave lesão e rescindiu seu contrato. O camaronês Joel nunca deixou de ser reserva e o meia chileno Valencia ainda está brigando por uma vaga na equipe.

FLUMINENSE - Os equatorianos Orejuela e Sornoza começaram muito bem, mas o meia Sornoza sofreu uma grave contusão e só voltou ao time na parte final do Brasileiro. O volante Orejuela enfrentou problemas pessoais e acabou no banco de reservas.

CRUZEIRO - Entre os jogadores estrangeiros utilizados pelo Cruzeiro, o meia uruguaio Arrascaeta foi o grande destaque. Os volantes argentinos Lucas Romero e Ariel Cabral tiveram altos e baixos, enquanto os atacantes Ábila e Messidoro não se firmaram. O zagueiro equatoriano Caicedo não empolgou o técnico Mano Menezes em nenhum momento.

ATLÉTICO-MG - O venezuelano Otero foi o maior nome dos estrangeiros que atuaram no Galo. Ótimo chutador, ele se transformou em um dos mais importantes jogadores da equipe. Os equatorianos Cazares, meia, e Erazo, zagueiro, foram muito irregulares.

GRÊMIO - O zagueiro argentino Kannemann foi um dos grandes responsáveis pela grande temporada do Tricolor Gáucho, campeão da Libertadores. O experiente paraguaio Lucas Barrios começou fazendo muitos gols, mas acabou caindo de produção. O meia argentino Gastón Fernandez, os equatorianos Bolaños e Arroyo e o peruano Beto da Silva não deixaram boa impressão.

ATLÉTICO-PR - Apenas dois estrangeiros no Furacão. O meia argentino Lucho González, que foi muito utilizado durante o torneio, e o volante Pavez do Chile que não chegou a brilhar.

CORITIBA - O rebaixado Coxa recorreu a apenas dois estrangeiros, sem qualquer resultado positivo: O meia alemão Baumjohann e o atacante colombiano Filigrana.

CHAPECOENSE - O Verdão de Chapecó usou cinco estrangeiros, mas apenas o venezuelano meia Seijas e o volante argentino Canteros tiveram bons momentos. O uruguaio Zeballos e os equatorianos Penilla e Guerrero não deixaram saudades.

AVAÍ - No time catarinense, apenas o atacante camaronês Joel, cedido pelo Botafogo, integrou a equipe, mas sem mostrar um grande futebol.

SPORT - O lateral chileno Mena e o zagueiro colombiano Henriquez não decepcionaram no Leão da Ilha. O atacante colombiano Lenis alternou boas e fracas atuações.

BAHIA - O meia argentino Allione fez um ótimo campeonato e foi um dos responsáveis pela boa campanha do Bahia. O atacante Mendoza também se firmou na equipe, mas o experiente colombiano Armero sofreu com muitas lesões.

VITÓRIA - O atacante colombiano Tréllez foi um jogador muito importante para a equipe rubro-negra. O meia argentino Pisculichi e o atacante chileno Pineda não se fizeram notar.

ATLÉTICO-GO - Não utilizou jogadores estrangeiros.

Portal Terra


Tags: brasileiro, brasileirão, campeonato, estrangeiros, futebol

Compartilhe: