Jornal do Brasil

Quarta-feira, 24 de Janeiro de 2018 Fundado em 1891

Esportes

Brasil vence Rei e Rainha do Mar e emociona público na despedida de Poliana Okimoto

Jornal do Brasil

O público na Praia de Copacabana acompanhou, nesse domingo (10), a apertadíssima vitória do Brasil Amarelo, time formado por Poliana Okimoto, Ana Marcela Cunha Fernando Ponte e Allan do Carmo, no Desafio Rei e Rainha do Mar.  Em um percurso que contou com oito voltas de 400m (350m de água e 50m de areia), os favoritos se esforçaram para bater o time Verde do Brasil formado por Betina Lorscheitter, Viviane Jungblut, Leonardo de Deus e Guilherme Costa. O terceiro lugar ficou com a Europa, seguido por África e Américas. Com uma linda manhã de sol, o evento ganhou ainda mais brilho por marcar o encerramento da carreira de Poliana Okimoto. A medalhista olímpica se emocionou quando falou sobre a despedida e a conquista do título de Rainha do Mar.

Poliana Okimoto durante o revezamento, neste domingo (10)
Poliana Okimoto durante o revezamento, neste domingo (10)

“Toda vez que eu piso em Copacabana eu lembro da medalha dos Jogos Rio 2016 . O mar sempre me trouxe coisas muito boas. Mesmo sendo minha última prova, eu me senti muito bem nadando o Rei e Rainha do Mar. Fui competitiva e foi uma disputa espetacular. Entrei bem emocionada, falei com os meus amigos de seleção. São muitos anos representando o Brasil. Quando olho pra trás lembro que valeu demais”, emociona-se Poliana. A atleta ainda falou sobre nadar junto Ana Marcela Cunha, já que elas nunca haviam competido na mesma equipe.

“Foi ótimo nadar com a Ana Marcela. Ela sempre foi minha rival mas isso sempre fez a gente evoluir, querer ser melhor e ter mais qualidade. Tenho certeza que isso fez eu e ela crescermos como atleta. Foi especial ter ela ao meu lado, no mesmo time, e ganhando. O dia de hoje foi muito emocionante.”, finaliza Poliana.

O revezamento foi eletrizante com a liderança alternada entre os times brasileiros. A equipe verde deu trabalho com experientes atletas de piscina como Leonardo de Deus e a promessa da nova geração Guilherme Costa. Na quarta volta, a Europa chegou a assumir a liderança mas na troca seguinte Leo de Deus e Fernando Ponte recuperaram a ponta. . Na penúltima volta, Allan do Carmo usou toda a sua experiência em provas de águas abertas para que Ana Marcela entrasse em primeiro na água.

“Era minha última volta e não podia deixar mal pois a Ana Marcela ia encerrar a prova. Eu estava nadando ao lado do Guilherme e sei que é um atleta muito forte. Recentemente, ele fez uma marca incrível batendo o recorde sul-americano. Quando eu consegui emparelhar com ele na água, eu pensei.. daqui eu não posso sair mais. Fiquei ali amarrado o tempo todo e funcionou. Vi que ele estava sentindo dificuldade. Fiz uma troca de na passagem pela última boia e na saída do mar eu tive que usar a minha clareza. Foi no detalhe e na corrida. Acho que a minha experiência contou muito”, explica Allan do Carmo.

Ana Marcela conseguiu sair na frente para a última volta e segurou a liderança no mar. A baiana seguiu na frente enquanto passava por todas as boias e garantiu a vitória para a equipe Amarela.

“A primeira volta que fiz do revezamento foi mais tranquila. Eu segurei mesmo, tanto é que a Europa conseguiu encostar nos times brasileiros. Para a última eu guardei um gás, quis ficar na frente o tempo todo. Quando virei na última boia, que é praticamente uma reta, eu acelerei. Foi demais. Também adorei o formato de quarteto misto. Ter disputando com a Poliana foi incrível, ainda mais na despedida dela. Primeira e única vez que o público pode ver a gente brigando pelo mesmo título ao invés de estar competindo uma contra a outra. É uma emoção diferente. Estou muito feliz”, declara Ana Marcela.

O Diretor-técnico do evento e um dos idealizadores do desafio Rei e Rainha do Mar, Pedro Rego Monteiro, falou sobre a satisfação de organizar e receber tantos atletas brilhantes na competição.

“Tivemos a Ana Marcela nadando ao lado da Poliana e outros grandes nomes. Trouxemos equipes fortes. Foi muito bacana ter a Poliana se despedindo e as duas competindo juntas pela primeira vez. Foi muito lindo ver as duas se abraçando. Foi especial ver o Brasil ganhando depois de alguns anos, um momento único”, finaliza Pedro Rego Monteiro.

​Ana Marcela Cunha, Fernando Ponte, Poliana Okimoto e Allan do Carmo
​Ana Marcela Cunha, Fernando Ponte, Poliana Okimoto e Allan do Carmo

Resultado Desafio Rei e Rainha do Mar 2017

1º - Brasil (amarelo) - 30min10seg - Poliana Okimoto / Ana Marcela Cunha / Allan do Carmo / Fernando Ponte

2º - Brasil (verde) -30min13seg - Betina Lorscheitter / Viviane Jungblut / Leonardo de Deus / Guilherme Costa

3º - Europa - 30min15seg - Dario Verani- Itália / Anna Olasz - Hungria / Alex Studzinski - Alemanha / Esmee Vermeulen - Holanda

4º - Africa - 30min27seg - Michelle Weber - África do Sul / Chad Ho - África do Sul / Danie Marais - África do Sul / Sasha-Lee Nordengen-Corris - África do Sul

5º - Américas - 31min23seg - Xavier Desharnais Canadá / Rebecca Mann - Estados Unidos / Guillermo Bertola – Argentina / Samantha Arevalo - Equador

Perfis Desafio Rei e Rainha do Mar  2017 – Atletas de elite

 

BRASIL AMARELO

Poliana Okimoto

São Paulo (SP), Brasil, 34 anos, 1,65m e 52 kg

Curiosidade: Poliana é a pioneira da natação feminina brasileira em águas abertas, tendo sido a primeira mulher do país a ganhar uma medalha em Jogos Olímpicos, Campeonato Mundial da Fina e Jogos Pan-Americanos.

Medalha de bronze nos Jogos Olímpicos do Rio-2016; Campeã mundial nos 10 km, vice-campeã mundial nos 5 km e bronze na prova por equipes em Barcelona-2013; Eleita pela Fina a melhor nadadora do mundo em 2013

 

Ana Marcela Cunha

Salvador (BA), Brasil, 25 anos, 1,64m e 65 kg

Ana Marcela Cunha

Curiosidade: Após os Jogos Olímpicos do Rio-2016, Ana Marcela se submeteu a uma cirurgia para retirada do baço após descobrir uma doença autoimune. A nadadora se recuperou a tempo de nadar o Mundial de Budapeste e conquistou três medalhas na Hungria.

Tricampeã mundial nos 25 km em Xangai-2011, Kazan-2015 e Budapeste-2017; Campeã da Copa do Mundo da Fina em 2010, 2012 e 2014; Eleita pela Fina a melhor nadadora do mundo em 2010, 2014, 2015 e 2017

 

Allan do Carmo

Salvador (BA), Brasil, 28 anos, 1,68m e 60 kg

Allan do Carmo

Curiosidade: Allan do Carmo faz parte da seleção brasileira principal desde 2006 e desde então já disputou duas Olimpíadas, nove Mundiais e dois Pan-Americanos. Suas únicas ausências foram nos Jogos Olímpicos de 2012 e nos Jogos Pan-Americanos de 2015.

Vice-campeão mundial por equipes no Mundial de Kazan-2015 e medalha de bronze em Barcelona-2013; Campeão da Copa do Mundo da Fina em 2014, Eleito pela Fina o melhor nadador do mundo em 2014

 

Fernando Ponte

Porto Alegre (RS), Brasil, 25 anos, 1,81m e 77 kg

Fernando Ponte

Curiosidade: Com o 5º lugar na prova de 5 km no Mundial de Budapeste-2017 ele igualou o melhor resultado da história da natação masculina de águas abertas em Mundiais que pertencia a Allan do Carmo nos 25 km em 2013.

Campeão Brasileiro em 2017; 5º colocado nos 5 km no Campeonato Mundial de Budapeste-2017; Medalha de bronze nos 10 km na etapa de Chun'An da Copa do Mundo de 2017

 

BRASIL VERDE

 

Betina Lorscheitter

Porto Alegre (RS), Brasil, 27 anos, 1,72m e 58 kg

Betina Lorscheitter

Curiosidade: Ela começou a nadar aos 5 anos de idade após seus pais a encorajarem a escolher um esporte para praticar. Quando tinha 20 anos, Betina optou por dedicar-se exclusivamente as águas abertas.

Campeã Brasileira em 2015; Vice-campeã sul-americana nos 10 km Assunção-2016, 4ª colocada na etapa de Setubal da Copa do Mundo de 2015

 

Viviane Jungblut

Porto Alegre (RS), Brasil, 21 anos, 1,66m e 62 kg

Curiosidade: Viviane conquistou bons resultados recentemente em eventos de piscina, tendo batido três recordes brasileiros entre 2016 e 2017, nos 400m e 800m livre em piscina curta e nos 1500m livre em piscina longa.

Campeã Brasileira em 2016; Medalha de prata nos 10 km na etapa de Setubal e bronze na etapa de Chun'An e Lac St-Jean da Copa do Mundo de 2017; Medalha de bronze por equipe no Mundial Júnior de Balatonfured-2014

 

Leonardo de Deus

Campo Grande (MS), Brasil, 26 anos, 1,75m e 70 kg

Curiosidade: Um dos nadadores mais carismáticos do Brasil, Leonardo criou junto de sua família um instituto que leva seu nome e que busca promover desenvolvimento humano, educacional e social através do esporte.

Campeão pan-americano dos 200m borboleta em Guadalajara-2011 e Toronto-2015; 8º colocado nos 200m borboleta no Mundial ; semifinalista olímpico nos 200m costas em Londres-2012 e Rio-2016 e nos 200m borboleta no Rio-2016

 

Guilherme Costa

Rio de Janeiro (RJ), Brasil, 19 anos, 1,75m e 60 kg

Curiosidade: Em uma visita a Angra dos Reis ele foi mordido por um cachorro e tempo depois ao voltar a cidade Guilherme descobriu que o cachorro havia morrido. Seus amigos assim que souberão da história o apelidarão de Cachorrão.

Recordista sul-americano dos 800m e 1500m livre; Campeão brasileiro nos 400m e 1500m livre no Troféu Maria Lenk-2017; 19º colocado nos 1500m livre no Mundial de Budapeste-2017

 

AMERICAS

Xavier Desharnais

Québec, Canadá, 27 anos

Curiosidade: O canadense estve pela primeira vez no Brasil em 2013 nadando o Rei e Rainha do Mar e queria ter voltado ao país em 2016, porém, não conseguiu se classificar. A vaga do Canadá ficou com Richard Weinberger que terminou a prova em 17º lugar.

Medalha de ouro na etapa de Lac. St-Jean do Grand Prix da Fina em 2014 e 2015; Medalha de prata nos 10 km na etapa de Lac Magog da Copa do Mundo em 2012 e 2013

 

Rebecca Mann

Homer Glen, Estados Unidos, 20 anos

Campeã mundial júnior nos 1500m livre e vice nos 800m livre em Dubai-2013; 7ª colocada nos 25 km no Mundial de Budapeste-2017; 8ª colocada nos 5 km e 10 km no Mundial de Barcelona-2013.

Curiosidade: Em 2007 aos dez anos de idade ela se tornou a atleta mais jovem da história a nadar a Travessia de Maui Channel, entre Maui e Lanai no Havaí. Ela completou os 16 km de prova em 6h30min.

 

Guillermo Bertola 

Córdoba, Argentina, 28 anos, 1,78m e 72 kg

Curiosidade: Um dos maiores nadadores argentinos de águas abertas, ele dá nome a uma competição de águas abertas na cidade de Los Molinos. A Copa Challenger Guillermo Bertola acontece anualmente em seu país natal.

Campeão do Grand Prix da Fina em 2017, Medalha de bronze nos 10 km nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara-2011, vice-campeão nos 10 km e medalha de bronze nos 5 km no Campeonato Sul-Americano de Assunção-2016

 

AFRICA

Michelle Weber

Vereeniging, África do Sul, 21 anos, 1,66m e 63 kg

Curiosidade: Quando tinha apenas 11 de idade passou a competir em eventos de águas abertas e revelou que passou a disputar a modalidade pelo fato das águas abertas serem sempre imprevisíveis.

Campeã mundial júnior dos 5 km em Welland-2012, 7ª colocada nos 5 km no Mundial de Budapeste-2017; 18ª colocada nos Jogos Olímpicos do Rio-2016

 

Chad Ho 

Joanesburgo, África do Sul, 27 anos, 1,71m e 75 kg

Curiosidade: Com tinha 18 meses de idade entrou pela primeira vez em uma piscina por influência dos pais que adoravam a natação. Ao lado de suas irmãs começou a competir na adolescência.

Campeão mundial nos 5 km em Kazan-2015 e medalha de bronze em Roma-2009; Campeão da Copa do Mundo da Fina em 2010; 10º colocado nos Jogos Olímpicos do Rio-2016

 

Danie Marais

Cidade do Cabo, África do Sul, 25 anos, 1,86m e 75 kg

Curiosidade: Filho de uma ex-nadadora da seleção sul-africana, Danie também é fã de outra modalidade bastante popular na África do Sul: o surf. O atleta gosta de ir a praia e surfar nas horas vagas.

Medalha de bronze no Campeonato Africano de Bloemfontein-2016; 22º colocado nos 5 km no Mundial de Budapeste-2017; 27º colocado nos 5 km no Mundial de Barcelona-2013

 

Sasha-Lee Nordengen-Corris

confirmar cidade de nascimento, África do Sul, 20 anos

Curiosidade: Depois de combater hipotireoidismo, aumento de peso e fadiga adrenal nos últimos seis anos, a nadadora conseguiu se recuperar e se classificou para nadar em julho de 2017 o Campeonato Mundial de Budapeste.

Campeã sul-africana dos 10 km em 2017; 23ª colocada nos 10 km no Mundial Júnior de Hoorn-2016; 50ª colocada nos 10 km no Mundial de Budapeste-2017

 

EUROPA

Dario Verani

Cecina, Itália, 22 anos

Curiosidade: Desconhecido até então pelo grande público, o jovem nadador italiano venceu o Desafio Rei e Rainha do Mar de 2016 ao lado da medalhista olímpica Rachele Bruni batendo diversos atletas consagrados como o campeão olímpico Ferry Weertman.

Campeão do Desafio Rei e Rainha do Mar 2016; Campeão da Copa Europeia de águas abertas em 2015; Campeão nos 5 km e na prova dos 5 km em equipe nos Jogos de Praia do Mediterrâneo em Pescara-2015.

 

Anna Olasz

Szeged, Hungria, 24 anos, 1,63m e 55 kg

Vice-campeã mundial nos 25 km em Kazan-2015; Campeã mundial universitária da Universíade de Taipei-2017; 14ª colocada nos 10 km nos Jogos Olímpicos do Rio-2016.

Curiosidade: A nadadora húngara vive há anos nos Estados Unidos, onde se formou em Comunicação Corporativa e Negócios pela Universidade do Arizona. Hoje ela é treinada por Bob Bowman, antigo treinador de Michael Phelps.

 

Alex Studzinski

Magdeburgo, Alemanha, 34 anos, 1,87m, 76 kg

Campeão da Travessia Capri-Nápoli em 2007; Bicampeão da Travessia de Lac. St. Jean em 2009 e 2013, Campeão da Travessia de Ohrid Lake em 2017

Curiosidade: Após sofrer uma grave lesão no ombro o nadador foi forçado a fazer uma cirurgia e não pode nadar durante o ano de 2016, perdendo a chance de lutar por uma vaga nos Jogos do Rio de Janeiro.

 

Esmee Vermeulen

Zaandam, Holanda, 21 anos, 1,79m e 62 kg

Medalha de bronze com o 4x100m livre no Mundial de Barcelona-2013; Campeã mundial de piscina curta com o 4x50m, 4x100m e 4x200m livre em Doha-2014; vice-campeã europeia com o 4x100m livre em Berlim-2014.

Curiosidade: Especialista em provas de piscina, Esmee disputará pela segunda vez o Desafio e Rei e Rainha do Mar. Em 2016 ela nadou a competição ao lado do campeão olímpico Ferry Weertman.

Tags: competição, esporte, mar, natação, rio de janeiro

Compartilhe: