Jornal do Brasil

Quarta-feira, 26 de Novembro de 2014

Esportes

Grêmio repudia ato de racismo e promete punir torcedores

Agência Brasil

O Grêmio repudiou a atitude dos torcedores que, ontem (28), agrediram o goleiro do Santos, Aranha, com ofensas de caráter racial. No primeiro semestre do ano, o clube gaúcho já foi multado em R$ 80 mil pelo comportamento racista de um de seus torcedores, que xingou o zagueiro Paulão, do Internacional.

Em nota, o Grêmio lamenta e repudia o que classificou de ato de racismo. A agremiação gaúcha se solidariza com o atleta santista e com o clube paulista e destaca que atos como o protagonizado pela torcedora gremista filmada chamando Aranha de “macaco” são fruto de “atitudes individuais e isoladas.

O Grêmio também garante que está fazendo todo o necessário para identificar os torcedores que discriminaram o atleta santista. O Departamento Jurídico do clube e a empresa Arena Porto-Alegrense, que administra o estádio, devem entregar às autoridades competentes as imagens gravadas pelas câmeras de vigilância do estádio. Na esfera criminal, a Polícia Civil já instaurou inquérito para apurar os responsáveis pelo crime de injúria, que prevê penas de um a três anos de reclusão e multa.

Ainda segundo o Grêmio, eventuais sócios do clube que venham a ser identificados ofendendo o goleiro santista vão ser suspensos e proibidos de frequentar o estádio. “Reiteramos que o Grêmio tem sido um incentivador de iniciativas que visam a coibir esse tipo de crime e que continuará alerta e atuante na luta contra a discriminação racial”, conclui a nota.

Já o Santos considerou o caso “inadmissível”, embora seja um “fato isolado”. A agremiação paulista diz que é impossível ignorar a manifestação ofensiva de alguns torcedores gremistas. O Santos propõe a retomada da campanha #RacismoNão, criada depois que um outro atleta santista, o volante Arouca, foi xingado por torcedores do Mogi Mirim, durante um jogo do campeonato paulista, em março deste ano. Em função da atitude de seus torcedores, o Mogi foi multado em R$ 50 mil.

“O ato representa a ignorância de uma minoria da sociedade, mas, por reconhecer o seu compromisso social em colaborar para a inibição de qualquer ato de preconceito, defendendo a sua cultura e a posição de seus torcedores, simpatizantes e ídolos, o Peixe [símbolo do clube] resgata, no dia de hoje, a campanha #RacismoNão”, informa o Santos em nota.

Tags: Brasileiro, futebol, Goleiro, Racismo, Santos

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.