Jornal do Brasil

Terça-feira, 25 de Novembro de 2014

Esportes

Manchester United contrata Di María por valor recorde de 59,7 mi de libras

Jogador argentino escreveu carta aberta para explicar saída do Real Madrid

Jornal do Brasil

O Manchester United confirmou nesta terça-feira (26) a contratação do meia argentino Angel Di María, que deixa o Real Madrid. O contrato de cinco anos custou 59,7 milhões de libras (cerca de 99 milhões de dólares) ao clube inglês, valor mais alto da história da Premier League. De acordo com o técnico do Real, Carlo Ancelotti, Di María teria pedido para sair e recusado renovação de contrato. O valor mais alto pago por um clube inglês havia sido de 50 milhões de libras, pagos pelo Chelsea pelo espanhol Fernando Torres, em 2011. 

Di María havia custado 33 milhões de dólares ao clube espanhol
Di María havia custado 33 milhões de dólares ao clube espanhol

"Meu ciclo no Real Madrid chegou ao fim. É impossível mensurar tudo o que vivi nestas linhas, porém esta carta serve para comunicar o que sinto no momento da minha despedida. Nestes quatro anos que tive a honra de vestir esta camisa, não sinto mais que orgulho por tudo o que passei e consegui junto de meus companheiros", diz o meia em carta aberta, divulgada no jornal espanhol Marca

O argentino de 26 anos chegou ao Real Madrid em 2010 e conquistou cinco títulos, duas Copas do Rei, em 2011 e 2014, um Campeonato Espanhol, em 2012, uma Supercopa da Espanha, em 2012, e a Liga dos Campeões em maio deste ano. 

O Real Madrid havia contratado James Rodriguez, que garantiu destaque da seleção colombiana na Copa do Mundo deste ano e conquistou a Chuteira de Ouro, por 80 milhões de euros. No início de agosto, James já treinava no clube espanhol. Dí María havia custado 33 milhões de dólares ao Real Madrid. Na semana passada, ele não foi relacionado para a Supercopa da Espanha pelo clube espanhol.

Confira a carta de Di María, publicada no Marca, na íntegra:

Estimado madridismo,

Meu ciclo no Real Madrid chegou ao fim. É impossível mensurar tudo o que vivi nestas linhas, porém esta carta serve para comunicar o que sinto no momento da minha despedida. Nestes quatro anos que tive a honra de vestir esta camisa, não sinto mais que orgulho por tudo o que passei e consegui junto de meus companheiros.

Lamentavelmente hoje tenho que ir, porém quero deixar claro que esse nunca foi o meu desejo. Como qualquer pessoa que trabalha, sempre quero progredir. Depois de conquistar a Décima, fui para a Copa do Mundo com a esperança de receber um gesto da direção, algo que nunca chegou. Falaram muitas coisas e muitas mentiras. Sempre quiseram atribuir a mim a iniciativa de sair do clube, porém não foi assim. 

Lamentavelmente não agrado a alguém. O único que pedi foi algo justo. Há muitas coisas que eu valorizo, muitas delas nada tem a ver com salário. Espero encontrá-las no Manchester United, um dos maiores clubes do mundo, com o qual espero fazer história.

Tive a sorte de dividir o vestiário com jogadores fantásticos, que foram inclusive melhores companheiros. Acredito que essa foi a chave para conseguir a Décima. Quero pedir desculpas pelas vezes que errei, dentro ou fora de campo. Nunca foi minha intenção prejudicar a ninguém. Suei esta camisa cada jogo como se fosse o último. Havia ocasiões que as coisas saiam bem, e outras que não. Porém o que posso assegurar é que sempre deu tudo de mim.

Quero agradecer à Espanha por tudo o que me deu e, em especial, por permitir que minha filha nascesse nesta terra. E de maneira muito particular às pessoas do Hospital Montepríncipe, que sempre vou levar no meu coração. Minha mulher, minha filha e eu estaremos eternamente agradecidos. Também aos meus companheiros, que me deram seu apoio sempre, nas horas boas e ruins, às distintas comissões técnicas com as quais trabalhei e também a todas as pessoas que trabalham no dia-a-dia do clube, com as quais guardo uma grande relação.

Desejo que o Real Madrid tenha uma grande temporada e consiga os objetivos que este clube sempre busca. Levarei sempre na minha memória esse momento na Supercopa, em que entrei no Bernabéu e recebi da torcida um carinho imenso. Muito obrigado. Todavia tenho a pele arrepiada. Não me ocorre melhor despedida para aquele que, lamentavelmente, foi minha última partida.

Hala Madrid! E até sempre!

Angel Di María

Tags: di maria, Europa, futebol, Manchester, Real Madrid

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.