Jornal do Brasil

Sábado, 20 de Janeiro de 2018 Fundado em 1891

Esportes

Brasil conquista 1ª medalha em revezamentos em Pan Pacíficos

Jornal do Brasil

Os brasileiros do 4x100m livre nadaram muito e ao terminarem em terceiro lugar (3m13s59), conquistaram a primeira medalha brasileira em revezamentos do Pan-Pacífico, a 13ª na história do Brasil na competição e a terceira nesta edição na Austrália. Agora, o Brasil possui duas medalhas de ouro, quatro de prata e sete de bronze em PanPacs, sendo duas de prata e este bronze no revezamento conquistados em Gold Coast.

"Já estava na hora. Este revezamento é uma das provas mais fortes na nossa história. Não ganhamos, mas demos um belo sufoco em todos. Um bom treino pra resgatar a tradição do 4x100m livre que tem tudo para brilhar em 2016", disse Bruno Fratus, resumindo o pensamento do grupo.

O Brasil largou com João de Lucca, que com 49s05 entregou em segundo, atrás somente do mito Phelps. A seguir caiu na piscina, Marcelo Chierighini, que manteve a posição, e acabou obtendo a melhor parcial brasileira, 49s11. Bruno Fratus nadou muito, e quando completou sua passagem em 48s00, colocou o Brasil em primeiro lugar. 

Nos 100 metros finais, a Austrália, até então em terceiro, cresceu com o novato Cameron Mcevoy, que colocou o time anfitrião no primeiro posto, seguido pelo americano Ryan Lochte, e pelo brasileiro Nicolas Nilo, que precisou se esforçar para garantir o quarteto no pódio, pois o Japão, quarto colocado, se aproximou perigosamente no fim, 3m14s93.

No revezamento feminino, Graciele Herrmann, Etiene Medeiros, Daynara de Paula e Alessandra Marchioro nadaram em 3m42s20 e ficaram na quinta posição. A Austrália venceu com recorde de campeonato, 3m32s46.

Nos 100m borboleta masculino, Thiago Pereira e Nicholas Santos terminaram em 5º e 8º lugar, com 52s71 e 53s22. Ambos melhoraram os tempos da manhã, 52s91 e 53s58, respectivamente. Os EUA fizeram dobradinha com a primeira medalha de ouro individual de Michael Phelps na competição, 51s29, seguido pelo compatriota Ryan Lochte, 51s67. A surpresa foi o bronze japonês de Hirofumi Ikebata (52s50, nadando na raia 2) quando a esperança maior era no outro japonês Kenta Hirai, que nadou na raia 6 ao lado dos americanos.

Tags: brasil, finais, medalhas, natação, premiação

Compartilhe: