Jornal do Brasil

Sexta-feira, 31 de Outubro de 2014

Esportes

Robinho perdoa ex-presidente e já foge de lobby eleitoral 

Portal Terra

O atacante Robinho apaziguou o clima para o início de sua terceira passagem pelo Santos. O camisa 7 falou ter superado a troca de farpas com o ex-presidente do clube, Luis Álvaro Ribeiro, alegando que "o Santos é muito maior" do que a polêmica que envolveu a frustração das negociações no último ano e ainda se esquivou de ser usado como peça-chave para a recandidatura do grupo situacionista do clube.

"O Luis Álvaro acabou por vocês (imprensa) pressionarem dando uma declaração que não era verdadeira. Mas isso é coisa do passado, o Santos é muito maior independentemente do presidente. Não tenho nenhum tipo de problema com ele, sou bem verdadeiro. Nunca tive problemas com a diretoria, o Santos está cima de tudo, o amor, tudo o que o Santos me proporcionou", afirmou.

No último ano, após desgastantes conversas, o atacante desabafou contra uma série de declarações do ex-presidente santista. O então mandatário criticou a sua postura nas negociações, principalmente com relação a pedida salarial.

Robinho se defendeu dizendo ainda que "com a atual diretoria é totalmente impossível qualquer nova abertura de negociação e de ocorrer a volta ao Santos". Na ocasião, ainda desmentiu o mandatário santista sobre a sua pedida salarial, alegando que aceitou diminuir em até 35% os seus ganhos. Durante as férias, amenizou a polêmica com uma visita ao clube para assistir uma partida da equipe sub-17.

"A gente não se preocupa muito com a eleição. A diretoria atual fez um esforço muito grande para me trazer e o Santos é um clube muito responsável, nunca atrasou o meu salário, o que é algo muito positivo. Não me preocupo com eleição, os torcedores que podem criticar ou me julgar e o presidente que estiver desejo sorte e que faça o meu melhor", disse o jogador.

O discurso do atacante pode frustrar a diretoria já que a contratação pode apagar o recente escândalo de fraude eleitoral, encabeçada por denúncias de sócios fantasmas, desmentidas posteriormente pelo clube. Os dirigentes negam a relação.

"A diretoria tentou trazer o Robinho em 2012, 2013 e 2014 e agora conseguimos. O foco do Comitê de Gestão é sempre fazer com que o Santos tenha um time competitivo, com bons jogadores que façam o seu papel. Todos sabemos que, em qualquer eleição de qualquer clube de futebol, o resultado em campo é importante. Estamos tentando trazer o Robinho há tempos, mas, em nenhum momento, está vinculado à eleição", argumentou Odílio.

No acordo encaminhado entre as partes para o seu retorno, o Santos se comprometeu a pagar aproximadamente R$ 500 mil mensais, quantia equivalente a pouco menos de metade do salário que Robinho recebe na Itália. As conversas caminharam, principalmente, devido a uma diminuição da pedida salarial do jogador.

Robinho abdicará de uma parte dos vencimentos para voltar, mas também ganhará incentivos no clube na venda de materiais esportivos, em ações de marketing e, principalmente, envolvendo metas atingidas, em caso de classificação para a próxima Copa Libertadores, por exemplo.

O Santos ainda busca um aumento de receitas para bancar a nova passagem na Vila Belmiro, inicialmente similar ao projetado durante a passagem de seis meses em 2010.

Tags: atacante, Milan, retorno, Robinho, Santos

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.