Jornal do Brasil

Terça-feira, 29 de Julho de 2014

Esportes

NYT: Para goleiros no Brasil, "pegar" a dor é parte do trabalho

Jornal norte-americano destaca pouca valorização dos goleiros por parte da torcida

Jornal do Brasil

O jornal norte-americano New York Times publicou uma matéria neste domingo (29) ressaltando que os goleiros no Brasil têm pouco prestígio entre os torcedores, mas que basta um erro e já são crucificados pela população. 

O autor lembrou o jogo de sábado, quando o goleiro Julio Cesar, até então chamado de frangueiro, foi o astro da partida e levou o Brasil às quartas-de-final, defendendo dois pênaltis. Ele também destacou que há quatro anos Julio chorou após um erro crítico no jogo da Copa que o Brasil perdeu para a Holanda. Depois do jogo contra o Chile, o jogador chorou mais uma vez - mas de felicidade.

O texto aponta que para os goleiros no Brasil às vezes parece que todo jogo representa um dia mais perto do momento que acabará com a sua carreira. O nome de Moacir Barbosa vem à tona: ele foi o goleiro mais famoso na história brasileira, duramente criticado por ter levado o gol decisivo na final contra o Uruguai na desastrosa derrota na Copa de 1950, um jogo que atormenta o Brasil até hoje.

O jornalista também fala sobre Rogério Ceni, que considera o goleiro mais conhecido nos últimos tempos. "Rogério fez o seu nome encontrando uma maneira de fazer gols, além de salvá-los", informa. Em 2006, Rogério alcançou a marca de goleiro que mais fez gols na história, o que teria o tornado amado até mesmo pelos torcedores mais críticos.

Tags: Críticas, futebol, Goleiro, julio cesar, Torcida

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.