Jornal do Brasil

Sábado, 25 de Outubro de 2014

Esportes

"Povo faz o favoritismo do Brasil real", diz Daniel Alves 

Portal Terra

Adotando o mesmo discurso de otimismo em relação ao hexacampeonato da comissão técnica, o lateral direito Daniel Alves disse, em entrevista nesta segunda-feira na Granja Comary, que o favoritismo do Brasil na Copa do Mundo é real por jogar em casa.

Em fase final de preparação para a estreia contra a Croácia, na próxima quinta-feira, o lateral disse que vê o Brasil equiparado com Argentina, Alemanha e Espanha e pode ter como diferencial o apoio da torcida.

“Primeiro, por respeito ao campeão (Espanha), quem defende o titulo sempre será favorito. Por gosto, a Alemanha tem um futebol alegre com jogadores qualificados. A Argentina também tem um ataque espetacular”, disse, elencando os favoritos antes de falar sobre os donos da casa.

“E o Brasil. Precisamos colocar na cabeça por estar jogando em casa. O povo é a Seleção Brasileira, a Seleção Brasileira é o povo. E isso faz o favoritismo do Brasil real”, disse, em discurso que repete a estratégia de auto-afirmação do grupo iniciada por Felipão.

O treinador disse que coloca o Brasil como favorito, e não poderia ser diferente em relação a uma potência que jogará em casa. Na primeira semana de trabalho na Granja Comary o coordenador técnico Carlos Alberto Parreira disse que “o campeão chegou”.

Apesar desta postura, jogadores e comissão técnica tentam diferenciar otimismo de clima de “já ganhou”. Segundo Daniel Alves, sempre haverá o que treinar e corrigir, além de manter o foco ser fundamental.

“Nunca estamos jogando tudo. Sempre temos que buscar o mais de tudo. Isso que permite ganhar, vencer seus rivais. Nunca satisfeito com o que estar satisfeito. Fazer algo melhor, algo diferente, a competição vai te dar isso (...). Realmente a hora da verdade vai começar agora. A leitura tem que ser feita daqui para a frente ou no final”, afirmou.

De qualquer forma, Daniel Alves não deixa de sonhar com uma final. “Eu gostaria de um Brasil x Argentina, pelo clássico, pela historia. Seria um jogo bastante legal, histórico, ganhar de um rival com tanta história”, afirmou.

Tags: brasileira, lateral, Mundial, preparação, seleção

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.