Jornal do Brasil

Sexta-feira, 19 de Dezembro de 2014

Esportes

Após disputa por ingressos da Copa, cambistas vendem pelo Facebook

Decon diz que venda pela internet fora do site da Fifa configura crime e fere o Estatuto do Torcedor

Jornal do Brasil

Após esgotarem as vendas de ingressos para os jogos da Copa do Mundo pelo site Fifa.com, na madrugada desta quarta-feira (4/6), já era possível encontrar ofertas para essas mesmas partidas nas redes sociais. Em um perfil do Facebook, identificado como Ingressos Copa do Mundo, o administrador faz a oferta para a disputa entre Argentina e Bósnia, que vai acontecer no Maracanã, no dia 15 de junho. "Ingressos para os jogos da copa do mundo aqui no rio argentina x Bósnia, interessados só deixar recado.", diz a postagem. 

O delegado Pablo Sartori, da Delegacia do Consumidor (Decon) explicou que a tentativa de venda não autorizada de ingressos para eventos pela internet já configura um crime, independentemente do valor solicitado. A ação está prevista no artigo 41F do Estatuto do Torcedor (Lei 10.671/2003) e a pessoa responde pelo crime de cambismo. 

>> Venda de ingressos para a Copa causa tumulto no Rio e São Paulo

>> A razão das passeatas

>> A Copa, o Catar, a corrupção e as passeatas

>> Quem é a responsável pelas passeatas, a Copa ou a corrupção?

>> 'O que tinha que ser roubado já foi', diz texto publicado por Joana Havelange

>> O jogador milionário, o Brasil e o torcedor pobre

>> Blatter não tem categoria para falar de Lula e do Brasil

>> Os bastidores da Fifa nas vendas de ingressos para a Copa no mercado negro

Sartori disse que somente na última semana foram apreendidos pela Decon mais de 10 ingressos para a Copa do Mundo, que estavam à venda pelas redes sociais. Em todos os casos, os cambistas virtuais estavam vendendo os tíckets pelo dobro do valor tabelado no portal da Fifa.

Na noite desta terça-feira (3) um argentino foi preso por policiais da Delegacia Especial de Apoio ao Turismo (Deat). Os agentes chegaram até o homem através de um anúncio que ele havia postado na internet com preços superiores aos fixados pela Fifa.

Tags: consumidor, delegacia, partidas, Redes, sociais

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.