Jornal do Brasil

Quarta-feira, 3 de Setembro de 2014

Esportes

Torcida do Atlético goleia Real, mas ouve ironia no fim

Portal Terra

Antes de a bola rolar na final da Liga dos Campeões, o clima entre as torcidas de Real Madrid e Atlético de Madrid era tranquilo e ameno. Eles circulavam juntos ao redor do Estádio da Luz sem problemas. Mas, quando todos estavam nas arquibancadas, aconteceu um duelo de gritos que foi vencido pela torcida do Atlético. O único problema para os colchoneros é que o Real foi campeão e respondeu com ironia. 

As duas torcidas invadiram cedo as redes de transporte de Lisboa para irem ao estádio ou para verem o jogo nos telões das Fan Fests organizadas pela Uefa. A reportagem do Terra encontrou fãs no metrô e ouviu mais barulho da torcida do Atlético. Enquanto os torcedores do Real estão acostumados a jogos grandiosos, os colchoneros disputavam uma final de Liga dos Campeões após 40 anos de ausência. Talvez isso explique tamanha empolgação.

Desde o metrô, um dos principais cantos do Atlético fazia referência a um apelido antigo e agressivo dos rivais. Em Madri, quem torce para o Real é chamado de viking, principalmente porque, na década de 70, o time começou uma "invasão" de estrangeiros, contratando muitos alemães para a equipe. "Jogadores, jogadores, nós viemos para ganhar. Que os vikings saibam quem manda na capital", cantaram os colchoneros.

Já a torcida do Real, que sempre é mais discreta, fez menos barulho que os rivais durante quase todo o jogo. Claro que o gol de Godín, ainda no primeiro tempo, contribuiu para isso. Mas ficou nítido que a torcida do Atlético empurrava seu time a dar ainda mais raça, enquanto o Real parecia tão apático quanto sua torcida.

Isso só mudou no começo do segundo tempo. Sergio Ramos empatou o o jogo, que foi para prorrogação. Depois que Bale fez o segundo gol, a torcida do Atlético ficou praticamente calada. Teve que ouvir os gritos tradicionais de "Hala Madrid" e também uma música que mostra o tamanho gigantesco do Real: "como eu não vou te querer? como eu não vou te querer se foi campeão da Europa pela nona vez?". Inclusive já surgiu a versão atualizada para "décima vez"

E o pior canto para os colchoneros surgiu em Madri. Durante a festa merengue, inclusive com a presença dos jogadores, surgiu a ironia: "jogadores, jogadores, nós viemos para ganhar. Que os índios saibam quem manda na capital". Este é exatamente o apelido agressivo que o Real criou para os colchoneros, por causa das contratações de muitos sul-americanos no passado. Assim como a virada em campo, a resposta da torcida do Real veio na medida.

Tags: campeões, Europa, final, liga, Real

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.